Foto: reprodução/TV Globo

Que Belo Horizonte é a capital dos botecos, isso todos nós sabemos. Mas além da boêmia em bares, a capital mineira também é conhecida por suas praças exuberantes, acolhedoras e cheias de vida. Segundo um levantamento da prefeitura, Belo Horizonte tem 790 praças, o que somadas chegam a um espaço de cerca de 3 milhões de metros quadrados, 18,2 metros quadrados por morador.

E no meio de tanta praça incrível, tivemos a difícil missão de selecionar dez para você apreciar e certificar do porquê Belo Horizonte tem esse nome. Assista ao vídeo abaixo e depois compartilhe com os amigos. Quem sabe vocês não dão uma passadinha em alguma dessas para curtirem um pouco.

PRAÇA DA LIBERDADE

Construída junto com Belo Horizonte, a Praça da Liberdade foi criada para ser o ponto mais alto da cidade com a finalidade de abrigar o poder administrativo do estado assim que BH passou a ser a capital de Minas Gerais. Mas o tempo passou e Belo Horizonte cresceu demais. A praça deixou de ser o ponto mais alto e também deixou de ser a sede administrativa do estado. O que ela não deixou de ser foi linda

Tombada como patrimônio estadual em junho de 1977, a praça passou por várias reformas até chegar ao que conhecemos hoje. Aliás, no tempo atual, seu nome tornou-se maior do que uma simples praça, passando a contemplar o Circuito Cultural da Praça da Liberdade, local que abriga quinze espaços culturais, como a Casa Fiat de Cultura, a Biblioteca Pública, o Centro Cultural Banco do Brasil e o Palácio da Liberdade, antiga residência do governador do estado.

PRAÇA FLORIANO PEIXOTO

A praça Floriano Peixoto fica localizada no badalado bairro de Santa Efigênia e, mesmo sendo uma área nobre e bastante valorizada da cidade de Belo Horizonte, também traz um certo ar nostálgico, remetendo a uma época mais tranquila e aprazível. É uma oportunidade de sair da rotina e do estresse diário para relaxar em meio à natureza.

No entanto, isso não faz com que o local esteja parado no tempo e, nos últimos anos, uma série de eventos e shows vem sendo feita por lá, inclusive algumas apresentações do badalado Savassi Festival. Você pode ir lá para simplesmente passar o dia, para um piquenique fazer atividades físicas ou ler um livro ouvindo o cantar dos pássaros. É um refúgio no meio da selva de pedra.

PRAÇA DUQUE DE CAXIAS

Pertinho da Praça Floriano Peixoto, temos a Praça Duque de Caxias. Que na verdade todo mundo conhece como Praça do Santa Tereza. Palco para eventos culturais e rodeada de bares incríveis, esse lugar é a maior característica da boemia em Belo Horizonte. Afinal, o bairro Santa Tereza é o bairro mais boêmio dessa cidade.

Quer uma cerveja com um tira gosto e se divertir ao ar livre? Corre para cá? Quer sentar num banquinho para ver a vida passar, assistir artistas de rua e se divertir com reuniões de família? Corre para cá? Quer praticar alguma atividade física? Aqui também rola! Afinal, desde 1937, esse é o point da região Leste de Belo Horizonte.

Praça Duque de Caxias (foto: reprodução/Santa Teresa Tem)

PRAÇA DA FEDERAÇÃO

Para tudo porque chegamos na Praça da Federação. Esse lugarzinho fica na praça na região noroeste de Belo Horizonte, localizada no bairro Coração Eucarístico. É mais conhecida como Pracinha da PUC porque fica a poucos metros da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas).

É bem bastante simples, mas é aqui que o fervo universitário de BH acontece. A praça, é famosa por seus bares e restaurantes e serve de ponto de encontro dos jovens, não só os da universidade, mas sim de toda a capital mineira. Cuidado ao conhecer! Alerta de surtos coletivos e muita bebedeira!

PRAÇA CRISTO REDENTOR

Em altitudes superiores a mil metros está a Praça Cristo Redentor, no bairro Milionários, lá no Barreiro. Essa praça tem esse nome porque tem um Cristo igualzinho ao do Rio de Janeiro. O monumento foi construído em 1956, a obra, em sua parte de alvenaria, tem uma altura de 11,8 metros.

Avistado ao longe, o local é uma das melhores opções para quem quer apreciar o conjunto de bairros e serras do Barreiro. A partir dele se tem ampla vista da grande cadeia de montanhas da região. Com arena, ampla área de convivência e localização privilegiada, a Praça do Cristo também é visitada por quem busca a prática de esportes e lazer, além de atividades culturais e religiosas.

Praça do Cristo Redentor (foto: reprodução/facebook)

PRAÇA DINO BARBIERI

Agora a gente vai dar um pulo no maior cartão postal de Belo Horizonte, a Pampulha, que é para mostrar a Praça Dino Barbieri, ou Praça da Igrejinha. Ela é pequenininha, mas é incrivelmente maravilhosa. É aqui que fica a famosa Igreja São Francisco de Assis, popularmente conhecida como Igrejinha da Pampulha. É uma das praças mais belas de Belo Horizonte.

O local compõe o Conjunto Arquitetônico da Pampulha, que eu volto aqui outro dia só para fazer um vídeo sobre isso. Sobre a praça, é um projeto do Arquiteto Oscar Neimeyer. Possui cerca de 9,5 m ² e tem como cartão postal os azuleijos deslumbrantes da igrejinha. O local é uma excelente opção para caminhadas, corridas e contemplação. Aldragos, agapantos, paineiras vermelhas, abricós de macaco, pau mulato, sibipirunas e ipês-roxo-de-bola são algumas das espécies que florescem o local.

PRAÇA SETE DE SETEMBRO

Estamos no coração de Belo Horizonte, na praça Sete de Setembro. Essa não é uma praça muito para você passar o dia, relaxar ou se divertir. Até porque o tráfego de pessoas aqui é muito grande. É um fluxo doido de gente para lá e para cá o tempo todo. Por outro lado, aqui também temos restaurantes, bares igrejas, cafés museus teatros e muitas atividades.

Aqui você pode assistir a uma peça ou show no Cine Teatro Brasil, jogar uma dama com algum tiozinho que sempre está por aqui a procura de um adversário, sentar para comer num dos bares mais tradicionais da cidade, fazer uma pausa para um cafezinho no Café Nice, assistir uma missa na Igreja São José e pode até fazer uma carteira de identidade, de trabalho ou até o passaporte ali no UAI. Aqui tem de tudo.

A Praça Sete (foto: PBH/ divulgação)

LAGOA SECA

Eu não sei bem se a Lagoa Seca é uma praça, mas se não for, é quase. E como esse é um dos espaços mais incríveis da cidade, não podemos deixar de incluir na lista. A Lagoa Seca é uma área de lazer que pertence ao bairro Belvedere, zona sul da capital mineira. Ela tem esse nome porque foi uma lagoazinha mesmo que acabou secando.

Hoje, é um lugar arborizado, que possui ruas largas e pista para caminhada e corridas com cerca de 700 metros de extensão. Os corredores costumam treinar no entorno da lagoa e também pelas ruas próximas. Nos finais de semana, o local recebe diversos eventos esportivos.

PRAÇA DO PAPA

Essa eu nem arrisco a chamar pelo nome de verdade, que é Governador Israel Pinheiro, porque todo mundo só conhece como Praça do Papa. Acreditem, essa é a maior praça de Beagá, com aproximadamente 45 mil metros quadrados, com uma vista deslumbrante que faz jus a um belo horizonte.

Por estar localizada na Serra do Curral, a praça é íngreme, mas não se torna desconfortável e, por esse fato, proporciona uma bela vista panorâmica da nossa linda cidade. Aliás, é daqui que nós podemos observar o melhor por do sol da capital. Seja para fazer um picnic, brincar com seu animalzinho de estimação ou brincar com a meninada, a praça é presente na vida dos belo-horizontinos. Em especial daqueles que gostam de tomar um vinho num final de tarde.

PRAÇA DIOGO DE VASCONCELOS

Bom gente, como vocês podem ver, já está a noite, mas eu decidi gravar a noite por uma finalidade. Vou explicar já já!
Finalmente estamos na última praça desse vídeo, a Praça Diogo de Vasconcelos, ou Praça da Savassi, como é mais conhecida. Afinal, esse é o centro da Savassi, essa região onde a vida noturna é frenética. São dezenas de bares, boates, restaurantes e muuuuita diversão.

Praça Diogo de Vasconcelos (foto: PBH)