Foto: Amira Hissa.

 

A última foi de uma drástica redução nos indicativos da Covid-19 em Belo Horizonte. Apesar do número de casos saltar cerca de 4,5%, passando de 173.352 confirmados em 27 de abril para 180.976 em 4 abril, todos os três índices que medem a doença na capital abaixaram consideravelmente.

O número de Transmissão por Infectado (RT), caiu de 0,98, em 27 de abril, para 0,96, em 4 de maio. Isso significa que 100 pessoas infectadas acabam espalhando o vírus para 96. Dado menos expressivo do que em fevereiro de 2021, quando esse índice chegou ao pico de 1,25.

Já a ocupação de leitos de enfermaria caiu de 59,2% para 55,2%, na comparação entre a data de maio e ontem (4/5). Enquanto a internação em leitos de UTI caiu de 80,6% para 76,4%. A curva do gráfico que apresenta esses indicadores começa a decair logo em seguida às medidas restritivas ao comércio, impostas pela prefeitura o início de fevereiro.

Hoje, o número de óbitos está em 4.407 vítimas. Destes, 2.376 mortes são de homens e 2.031 são de mulheres. 7.056 casos da doenças estão sendo acompanhados neste momento. Outros 169.513 pacientes estão recuperados. Quanto ao número de profissionais da saúde que testaram positivo para Covid-19 foram 2.526. Nenhum óbito foi registrado.

Falando de vacinação, Belo Horizonte já vacinou 27,3% da população com a primeira dose e 12,4% com a segunda dose. A coronavac é o medicamento que mais foi distribuído na capital. 700.301 ao todo, sendo 379.203 da primeira dose e 240.697 da segunda dose. A Astrazeneca chegou a 177.252 na primeira dose e a 12.573 na segunda dose, totalizando 264.271 doses distribuídas. Já a Pfizer foi distribuída a 50.310 pessoas.