Foto: divulgação

 

Pesquisas mostram que a convivência com animais diminui o estresse e aumenta o bem-estar. Pensando nisso, a Una Linha Verde vai abrir suas portas para animais de estimação. A partir de agora, os pets podem acompanhar acadêmicos e visitantes. “O campus é horizontal, tem um rico paisagismo e espaços abertos que permitem a visitação durante diferentes turnos dos acadêmicos e conta com atendimentos da comunidade local com serviços contábeis, jurídicos, sociais e de saúde”, diz o diretor da Una Linha Verde, Bruno Antures.

Para oferecer conforto aos animais, os corredores e ambientes de convivência terão espaços sustentáveis com bebedouros com água potável, comedouros, saquinhos de coletas para fezes, tapetes higiênicos e papel toalha. Além disso, será disponibilizada ração para fornecer aos animais neste momento de visita ao campus e manuais educativos para os tutores sobre bem-estar animal e saúde preventiva.

Os pets deverão sempre estar com guias e acompanhados pelos seus tutores. No caso de raças grandes também é necessário o uso de focinheiras. Os animais terão acesso aos espaços comuns do campus, corredores, espaços administrativos, hall, estacionamento e espaço de convivência. A restrição de acesso ficará para as salas de aulas, por serem especificas para estudos e exigirem alta concentração.

“Estamos muito felizes com essa abertura porque espaços que permitem a convivência com animais são ambientes ricos em alegria, bem-estar e maior interatividade. Alguns estudos demonstram que o contato com animais de estimação estimula positivamente o cérebro para a liberação de substâncias que melhoram o comportamento e a socialização”, diz Antures.

O curso de Medicina Veterinária da unidade vem oferecendo serviços de ações sociais para a comunidade, como os atendimentos aos cavalos de tração do município, apoios nas campanhas de vacinação antirrábica e encontros para cuidados e orientações de saúde para tutores de pets. “Tornar o campus pet frienfly vai ao encontro da nossa natureza e do que alunos e professores já vêm fazendo, abrindo nossas portas para o convívio harmônico com os pets e com a comunidade”, diz.