Parabéns à nossa querida Pampulha, lugar de lazer e de muitas histórias de belo-horizontinos. O complexo modernista, criado Oscar Niemeyer, em 1943, ganhou hoje, o título de Patrimônio Mundial da Humanidade.

Créditos: PBH

Créditos: PBH

A decisão foi tomada em uma reunião em Istambul, na Turquia. Inicialmente o encontro que definiria o tombamento do Conjunto seria sábado, dia 16, mas foi adiado devido aos atentados terroristas decorrentes a tentativa de golpe militar no qual 265 pessoas morrer, conforme relatado pelo Contorno de BH anteriormente.

“A candidatura foi muito bem fundamentada. O conjunto foi um marco da arquitetura mundial moderna nos anos 40”, disse o presidente do Icomos no Brasil, Leonardo Castriota. O órgão é uma entidade da Unesco que analisa candidaturas a Patrimônio Mundial da Humanidade.

Por meio de nota, logo após a decisão da Unesco, o governo brasileiro afirmou que  “a Unesco, ao reconhecer o valor universal excepcional da Pampulha, considerou o conjunto como símbolo de uma arquitetura moderna distante da rigidez do construtivismo e adaptada de forma orgânica às tradições locais e às condicionantes ambientais brasileiras”.

No total, agora o Brasil coleciona 20 títulos iguais a estes. Em Minas Gerais, as cidades de Ouro Preto e Diamantina e o Santuário de Bom Jesus de Matozinhos, em Tiradentes, já haviam sido nomeados.

É interessante ressaltar que há poucos dias atrás o Prefeito Márcio Lacerda retomou as obras para despoluição da Lagoa da Pampulha que participou de forma indireta para a decisão da UNESCO. Óbvio que a lagoa, apesar de ser um cartão postal, não faz parte do conjunto arquitetônico, porém é impossível não visitar qualquer uma das 4 obras que o integram sem observar a represa.

Ainda sobre a despoluição, Márcio Lacerda disse em coletiva de imprensa que, até o ano 2017, irá remar na Lagoa da Pampulha. Será mesmo?

 

O Conjunto Arquitetônico
São 4 obras do incrível Oscar Niemayer que integram o Conjunto Arquitetônico da Pampulha. O complexo foi fundado em 1943, durante o governo Kubitscheck e é referência de lazer para turistas de todo país.

 

 

Créditos: Jian Henrique

Créditos: Jian Henrique

Igreja São Francisco de Assis
As curvas da Igrejinha da Pampulha, como é conhecida, emoldurada com azulejos pintados por Cândido Portinari (1903-1962) e cercada pelos jardins de Roberto Burle Marx, foi considerada à época “moderna demais” pela Igreja Católica. O local foi o último prédio do conjunto a ser concluído e ficou fechado para missas e cultos por 14 anos, só saindo dessa situação após o papa João 23 manifestar interesse em expor no Vaticano a via sacra de Portinari, registrada na Igrejinha, no fim dos anos 1950.

 

 

Créditos: Jian Henrique

Créditos: Jian Henrique

Casa do Baile
Atualmente funcionando como Centro de Referência do Urbanismo, Arquitetura e do Design, a Casa do Baile foi criada para ser um local de espetáculos e jantares dançantes. Localizada em uma ilha artificial e ligada à orla por uma ponte de concreto, o prédio foi inaugurado em 1943. Na época, o local era ponto de encontro da elite econômica min Iate Tênis Clube

 

 

 

Iate Tênis Club

Créditos: Jian Henrique

Créditos: Jian Henrique

Inaugurado em 1943, o Iate Tênis Clube foi criado para ser um espaço de esportes e lazer. Sua sede, em formato de um barco, “avançando” sobre o espelho da Lagoa da Pampulha. O local ganhou painéis de Cândido Portinari e do paisagista Roberto Burle Marx. O clube era público, gerenciado na época pela Prefeitura de Belo Horizonte.

 

 

 

 

Museu de arte da pampulhaMuseu de Arte
O prédio do Museu de Arte da Pampulha foi criado à época para tornar-se uma casa de jogos. O Cassino da Pampulha foi o primeiro projeto do conjunto arquitetônico idealizado por Oscar Niemeyer (1907-2012) a ficar pronto. Também conhecido como Palácio de Cristal, por causa dos vidros espelhados que cercam o prédio, o espaço foi inaugurado em 1943.

%d blogueiros gostam disto: