Não precisa ser um especialista em economia para saber que o custo de vida em Belo Horizonte subiu assustadoramente ao longo deste último ano. Em função deste aumento, o orçamento das famílias também tem sido pressionado e as alternativas de crédito fácil são cada vez mais demandadas. Como um efeito dominó, o próximo estágio desse ciclo é o endividamento.

Uma prova disso é um levantamento feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) da Câmara Lojista de Belo Horizonte (CDL/BH) que registrou um aumento de 6,2% no número de dívidas da capital, em junho. Tal resultado é o maior dos últimos 4 anos, sendo que a única vez que o saldo contrariou o endividamento foi em junho de 2013, quando o resultado foi de -0,3%.

Esta faltando dinheiro para os mineiros pagarem as dividas. (Foto: Ana Lívia do Nascimento).

Esta faltando dinheiro para os mineiros pagarem as dividas. (Foto: Ana Lívia do Nascimento).

Para o vice-presidente da CDL/BH, Marco Antônio Gaspar, as famílias estão tendo dificuldade de equilibrar o orçamento. “A inflação acaba reduzindo a renda dessas pessoas. E como reflexo, o consumidor entra em uma situação financeira onde sua renda é insuficiente para cobrir todas as despesas da casa. O que também contribuiu com o acúmulo dessas dívidas foi à elevação da taxa de juros. Pois a cada dia de atraso o débito fica mais caro, fator que enfraquece a capacidade de pagamento dos belo-horizontinos”, comenta.

Apesar do número assustador, maio ainda foi pior que junho. O número de dívidas em atraso apresentou um recuo de -0,18% na comparação dos meses. “Essa queda é reflexo dos consumidores que após quitarem as despesas de início do ano como o IPVA e o IPTU, conseguiram organizar o orçamento para quitar outros débitos”, disse Gaspar.

Outro ponto da pesquisa apontou que os homens são os responsáveis pela maior parte das dívidas. Eles tiveram uma aumento médio de 6,3%, enquanto elas ficaram em 5,6%. Por faixa etária, os idosos são as maiores vítimas com cerca de 30% das contas em atrasos.

 

O que esperar de julho?

A maior parte dos termômetros econômicos apontam que o Brasil já está saindo da crise econômica.  Logo Belo Horizonte também sairá. A CDL/BH ainda não pronunciou sobre uma pesquisa sobre o mês, mas da mesma forma que houve uma leve melhora na comparação  de maio para junho, pode ser que o mês atual também apresente um breve alívio.

%d blogueiros gostam disto: