Foi anunciada pelo presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Agostinho Patrus (PV), uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre as barragens de rejeitos. A meta é a apuração dos fatos relativos ao rompimento da Barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho.

Mas o foco no cuidado com os familiares das vítimas e outros atingidos também pautará os trabalhos, conforme enfatizou o presidente. “Muitos perderam familiares, a estrutura de trabalho, o local de onde tiravam seu sustento. Agora precisam também desta visão social que a Assembleia dará ao tema”, afirmou Patrus.

O trabalho será feito em conjunto com outras instituições como Ministério Público e polícias nos âmbitos estadual e federal.  Segundo o Regimento Interno da ALMG, a CPI possui poderes de investigação próprios das autoridades judiciais e terá prazo de 120 dias para apuração dos fatos, prorrogável por mais 60.

Foto: André Penner/reprodução.

Foto: André Penner/reprodução.

%d blogueiros gostam disto: