Segundo os dados mais atualizados da Defesa Civil de Minas Gerais, 37 pessoas ainda estão soterradas pela lama que vazou após o rompimento da Barragem do Feijão, em Brumadinho. O curioso é que hoje a tragédia completa três meses.

Foto: André Penner/reprodução.

Foto: André Penner/reprodução.

Enquanto isso, 233 corpos já foram identificados e entregues às suas famílias para serem velados. Outras 125 pessoas foram encontradas com vida pelo corpo de Bombeiros logo após que a contenção da estrutura cedeu e os rejeitos de minério da Vale vieram a baixo.

Até o momento, 274 famílias de vítimas em Brumadinho receberam como doação, cada uma, R$100 mil; 98 residentes de imóveis da Zona de Autossalvamento receberam R$50 mil, e 85 pessoas que tiveram seus negócios ou produção rural impactados pelo rompimento receberam R$15 mil. As ações ainda incluem acolhimento, assistência psicológica, atendimento médico, recuperação de infraestrutura, auxílio financeiro, indenizações e aportes a instituições que estão colaborando com a empresa no apoio humanitário.

Por hora, enquanto as buscas entram em seu 91º dia, de acordo com a corporação, 136 militares, 4 cães e 101 máquinas pesadas estão em 24 frentes de trabalho, entre 7h e 23h, na exploração para encontrar os últimos 37 corpos. Os bombeiros informaram ainda que é feita a retirada de rejeitos com caminhões e inicia a construção de uma estrada para dar acesso a outro local onde também há lama a ser removida.

%d blogueiros gostam disto: