O empresário mineiro Thiago Naves, CEO da Quick Brasil, estará em Boston, na sede do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), no dia 28 de maio. A visita será para a gravação de um case sobre sua start-up, que se tornará parte da grade de cursos online do MIT. A plataforma, pioneira no Brasil, foi desenvolvida por Naves e um grupo de mais três empresários no Global Entrepreneurship Bootcamp 2017, um programa do instituto que é considerado um dos epicentros mundiais da inovação.

“Será uma honra para a Quick Brasil estar entre os cases de sucesso deste programa, reconhecido internacionalmente. São muitos projetos selecionados anualmente, estar entre os escolhidos para entrar na grade de cursos oficial do MIT significa que estamos no caminho certo”, conta o empresário.

Acessado por meio do site quickbrasil.org, a Quick Brasil se propõe a dar suporte prático e rápido a quem teve voos atrasados, cancelados, com overbooking ou extravio de bagagens. Assim que o passageiro relata o caso, os consultores avaliam gratuitamente o problema e, a seguir, caso haja real direito à reparação, propõem uma indenização imediata no valor de mil reais, em depósito na conta bancária. Ao receber a compensação, o consumidor renuncia receber qualquer outro valor da companhia aérea referente ao caso. A start-up, por sua vez, passa a reivindicar a retratação diretamente com a companhia, assumindo os riscos e resultados.

“Nosso objetivo é garantir que o consumidor seja indenizado nas situações em que foi lesado pelas companhias aéreas, mas com muito mais rapidez que a justiça pública e sem riscos. O próximo passo impactar uma melhoria no serviço prestado pelas empresas de aviação no que diz respeito ao tratamento dos seus consumidores”, relata Naves. O procedimento está amparado no conteúdo legal previsto pelo Código de Defesa do Consumidor, Código Civil e Lei 9.099/95.

%d blogueiros gostam disto: