Foto: Márcio Fernandes

 

Após quase cinco anos sem avanços, o Governo de Minas anunciou nesta sexta-feira (7/2), em Belo Horizonte, o primeiro lote de projetos, no valor de R$ 516 milhões, que vai beneficiar 4,8 milhões de pessoas atingidas pela barragem de Fundão, da Samarco, rompida em 2015 no município de Mariana. Serão contemplados municípios de Minas Gerais e do Espírito Santo localizados na área que abrange o Rio Doce. Os recursos serão disponibilizados pela Fundação Renova a título de compensação e reparação.

A apresentação dos cinco projetos nas áreas de educação, saúde, infraestrutura e gestão governamental, determinados pelo governador, foi feita durante a 45ª reunião do Comitê Interfederativo (CIF) do Rio Doce. Pela primeira vez desde a tragédia, medidas concretas desenvolvidas pelo estado foram apresentadas aos membros do CIF e aos atingidos. Criador do Comitê Gestor Pro-Rio Doce, que deu celeridade aos projetos, Romeu Zema fez questão de ouvir as demandas dos presentes e garantiu que não medirá esforços para prestar apoio à população afetada.

“O que eu sempre escutava era: a Fundação Renova existe, está gastando milhões e milhões, para não dizer bilhões, e pouco se vê acontecendo. Sou muito esperançoso e otimista e quero deixar claro: vocês podem contar com o meu governo. Está aqui parte do meu secretariado. Todos nós temos feito o que está ao nosso alcance. Mas quero deixar claro que não estamos cometendo os mesmos erros como na tragédia de Brumadinho. Nós estamos sendo muito mais céleres. Estamos trabalhando para que as duas tragédias – Mariana/Brumadinho – não voltem a acontecer”, declarou o governador.

Luísa Barreto durante seu discurso (foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG).

A coordenadora do Comitê Gestor Pró-Rio Doce e secretária adjunta de Planejamento e Gestão, Luisa Barreto, detalhou os cinco projetos que foram apresentados e aprovados pelos membros do CIF e representantes dos atingidos. As medidas são: estruturação do Hospital Regional de Governador Valadares; a implantação do Distrito Industrial nos municípios de Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado; estruturação das estradas do município de São José do Goiabal; o Programa de Residência em Gestão Pública do Rio Doce; e o projeto estruturante para o fortalecimento da educação pública na bacia do Rio Doce.

”O governo sabe que é fundamental agilizar e acelerar o processo de reparação focado nos atingidos. Tivemos uma preocupação em trazer intervenções que, de fato, mudem a realidade de quem está no território, de quem foi atingido. Nós ouvimos as pessoas, os prefeitos, estivemos em contato constante com todos aqueles que são parte deste problema – os atingidos e os municípios – e percebemos as demandas. A gente espera que a Renova cumpra essa determinação, pois essas medidas não são para o governo, elas são para as pessoas que foram atingidas, vão trazer melhorias em educação, saúde, mobilidade e geração de emprego e renda”, destacou Luisa Barreto.

Autoridades dos governos de Minas e do Espírito Santo, do governo federal, de municípios atingidos e dos Ministérios Públicos estadual e federal participaram do encontro. O prefeito de Mariana, Duarte Júnior, ressaltou a importância da presença do governador na reunião. Segundo ele, a percepção de que o Estado está mais próximo dos municípios e dos cidadãos reforça a esperança de que o processo seja concluído de forma mais ágil e comprometida para encontrar soluções para a tragédia.

“Nós derrapamos muito neste processo, estamos falando em quase cinco anos desta tragédia, e preciso dar o testemunho de que, assim que o senhor assumiu a gestão como governador, entendeu o tamanho da responsabilidade, não somente com Minas Gerais, mas com a maior tragédia ambiental do país, e levou para dentro do gabinete. O que foi apresentado aqui é, sem dúvida, uma grande vitória. Tenha a certeza que estamos dando um passo para que cada cidadão que sofreu tanto com essa tragédia tenha a percepção de que algo vai acontecer é muito importante”, afirmou o prefeito.

%d blogueiros gostam disto: