Foto: iStock

 

De raízes históricas profundas, o Dia Internacional da Mulher, comemorado em 08 de março, é celebrado desde o século 20 e sua história está atrelada à luta das mulheres pela igualdade de direitos e melhores condições de trabalho. Hoje, a data frisa cada vez mais a importância da mulher na sociedade, principalmente suas conquistas e batalhas.

Conforme aponta o Ministério do Trabalho, no Brasil houve um crescimento da ocupação feminina em postos formais de trabalho de 40,8% em 2007 para 44% em 2016. Apesar do avanço, o dado não condiz com o percentual de mulheres na população brasileira. Já segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), elas já são maioria por aqui, com 51,03%.

Apesar da divergência, é notável a crescente das mulheres no mercado e trabalho. Aliás, elas muito além do simples emprego de CLT ou MEI, elas inovam, investem, empreendem e fazem seus próprios negócios tornarem lucrativos e vantajosos. Conheça oito mulheres empreendedoras e inspire-se na sua história de sucesso:

Vó Sônia da Casa de Bolos: a verdadeira Dona do Pedaço (foto: Casa de Bolos/Divulgação).

Aos 74 anos, Sônia Maria Napoleão Ramos, ou simplesmente ‘Vó Sônia’, como é carinhosamente chamada, hoje colhe os frutos de uma atitude empreendedora tomada no ano de 2009, quando fundou a Casa de Bolos, rede de franquias pioneira no segmento de bolos caseiros. Tudo começou quando seu filho caçula, Rafael Ramos, perdeu o emprego e a família viu-se obrigada a encontrar uma maneira urgente de complementar a renda para fechar as contas do mês. A ideia de fazer os bolos caseiros e sair vendendo pela redondeza ganhou não só as ruas da cidade de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, como pessoas que passaram a encomendar as iguarias e fazer o “boca a boca”, a propaganda mais eficaz do mundo. Atualmente, a Casa de Bolos conta com mais de 370 lojas e espera encerrar 2020 comemorando, além dos 10 anos de existência, a marca de 400 unidades em todo país

Camila Miglhorini criou o primeiro primeiro fast-food de alimentação saudável (foto: Mr Fit/Divulgação).

Camila Miglhorini, 37 anos, também se inspirou em criar um negócio próprio após ter dificuldades em encontrar um local que oferecesse uma alimentação rápida e saudável em um mundo repleto de produtos artificiais e industrializados. Formada em administração de empresas, a empresária abriu em 2013 o Mr. Fit, primeira rede de fast-food saudável do Brasil. Atualmente comanda com olhos bem atentos o negócio formatado por ela e transformado em uma franquia que já conta com mais 130 unidades distribuídas por 13 estados brasileiros.

Rosana Braem trocou a carreira de diretora de arte pelo empreendedorismo (foto: Divulgação/Bendito).

Depois de construir uma carreira de sucesso, Rosana Braem, não teve receio em abandonar seu emprego como diretora de arte em uma grande emissora de televisão para assumir seu lado doceira. Afinal, desde a época que cursava publicidade na faculdade, ela já se virava vendendo cookies, brownies e outras delícias para os colegas. Em 2013, Rosana abriu a primeira loja do Bendito Cookies, conhecida como a franquia mais gostosa do Rio de Janeiro e que hoje conta com seis pontos de vendas. Agora, a rede se prepara para desembarcar na capital paulista, onde pretende abrir 10 lojas até o final do ano.

Mãe e filha colocaram a mão na massa e criaram a Pello Menos (foto: Pello Menos_Divulgação).

Em 1996, a carioca Regina Jordão contrariou amigos e familiares e apostou num negócio que, a princípio, não parecia ser boa ideia: um instituto de depilação a cera na Cidade Maravilhosa. Maluquice aos olhos de uns, mas não para a filha Alessandra Jordão, que abraçou o sonho da mãe e colocou a “mão na massa” logo cedo, aos 16 anos. De porta em porta e no boca a boca, as duas convenceram muita mulher a conhecer sua cera exclusiva, que provoca menos dor e muito mais conforto. Em seis meses e com mais de mil clientes cadastradas o Pello Menos decolou e elas começaram a estruturar a segunda loja. Hoje, são 50 lojas divididas entre os estados do Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo.

Sylvia Barros provou o aprendizado do segundo idioma não confunde os pequenos (foto: The Kids Club_Divulgação).

E por falar em São Paulo, foi na capital paulista que Sylvia de Moraes Barros colocou em prática a metodologia da The Kids Club que se espalhou por todo Brasil. Em 1994, Sylvia estava atrás de um método eficaz que ensinasse inglês para crianças a partir dos 18 meses e atendesse uma lacuna deixada pelas escolas de idiomas. A educadora foi até a Inglaterra para entender como era possível lecionar o inglês de maneira lúdica e atrativa. Enfrentando resistência dos pais nos primeiros anos, que não entendiam como era possível uma criança aprender um segundo idioma sem se confundir com a língua materna, Sylvia insistiu e, pacientemente, foi provando como não só era possível, como essencial. No momento, a The Kids Club conta com 70 unidades no país e é fonte de referência dentro do segmento de educação.

https://files.pressmanager.net/clientes/95756b94a7f7c7a22819086f1e24bf5b/imagens/2020/02/28/14ce05fc8ed64ab114d54af3be334754_medium.jpg

Melina Alves: de cabeleireira a especialista em usabilidade e arquitetura da informação (foto: DuxCoworkers Divulgação).

Também foi na capital paulista que a mineira de Passos voou. Aprendiz de cabeleireira e uma vontade imensa de transformar vidas, Melina Alves adentrou no universo do UX, que significa User Experience. O termo, relativamente novo, tem por objetivo melhorar ao máximo a experiência que o consumidor pode ter com determinado produto – uma maneira, aos olhos da jovem, de transformar vidas. Trabalhando em agências de publicidade, Melina foi estudando e investindo todo o tempo possível em sua capacitação e consolidando seu nome no mercado, tornando-se pioneira no Brasil a profissionalizar o tema. Há 10 anos, fundou a DUXcoworkers, primeira agência de UX do Brasil.

Giordana Tavares: desde criança já tinha um perfil de liderança (foto: Rayflex/Divulgação).

Giordania Tavares, uma paulistana de 38 anos, destaca-se dentro de um ambiente predominantemente masculino: o da indústria. Giordania é diretora executiva e responsável por tornar a Rayflex, empresa do ramo de portas rápidas, expoente no Brasil e na América Latina. Criada no chão da fábrica da família, na adolescência, negociou um emprego com o pai e anos mais tarde tornou-se a diretora executiva. Firme nas palavras e gestos, é ela quem decide e encabeça importantes reuniões com homens líderes de outras empresas.

Alexandra Gimenez: uniu seu talento e amor pelos pets para criar a AmahVet (foto: AmahVet Divulgação).

Apaixonada por bichos desde a infância, a paulistana Alexandra Gimenez, (38), sonhava em ter um espaço bem grande para poder socorrer os pets de rua e outros animais que precisassem de ajuda. O sonho de infância a motivou a criar um negócio: a AmahVet, uma clínica veterinária que reúne consultórios, centro cirúrgico, laboratório próprio com tecnologia de ponta e farmácia veterinária. Atualmente, Alexandra comanda uma equipe apta a atender mais de 10 diferentes especialidades, entre elas fisioterapia e terapias alternativas, como ozonioterapia e acupuntura.

%d blogueiros gostam disto: