Há dois dias, o Ministério da Saúde (MS) anunciou que investigava uma suposta morte de uma mulher por coronavírus em Minas Gerais nodia 27 de janeiro, dois meses antes do primeiro caso confirmado no estado. Esse óbito colocava Minas Gerais como o marco zero do Covid-19 no Brasil. Tudo isso não passou de um erro.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), através de nota, reconheceu que falou ao preencher os dados de uma paciente em um protocolo. Esses dados chegaram ao Ministério da Saúde e por isso foi levantado o falso alarde. Tanto a SES-MG quanto o MS retrataram.

Com isso, o primeiro caso de infecção por coronavírus no Brasil volta a ser o de um senhor de 66 anos que esteve na Itália em fevereiro deste ano e a primeira morte permanece como a que foi registrada em 17 de março. Ambos casos em São Paulo. Em Minas o primeiro caso confirmado foi há duas semanas e a primeira morte no último domingo (29/03).

Essa é a segunda vez que a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais falha com a relação de confirmação de óbitos relacionados ao Covid-19. A primeira foi quando confirmaram três mortes no interior do estado, na manha do dia 31 de março e no final da tarde retrataram.

Veja a nota de esclarecimento da SES-MG na íntegra:

A paciente, de 76 anos, moradora de Belo Horizonte apresentou início de sintomas em 25/03/20. Ela foi internada em 27/03 e no mesmo dia foi coletado material. Já o resultado para COVID-19 saiu em 31/03 e veio a óbito em 01/04.

Portanto, houve um erro no cadastro da paciente.  Ela apresentou início de sintomas em 25 de março e não 23 de janeiro de 2020, conforme foi divulgado na quinta-feira, dia 02/04, pelo Ministério da Saúde.

Importante destacar que normalmente quem realiza a notificação dos dados são os municípios ou os prestadores (hospitais) e essa notificação é cadastrada em uma plataforma nacional.

Por fim, vale ressaltar que a senhora em questão, trata-se da paciente 4, que consta no Informe Epidemiológico: sexo feminino, 76 anos, residente do município de Belo Horizonte. Início de sintomas gripais em 23/03/20. Portadora de doença cardiovascular e diabetes. Resultado detectável para COVID-19 em 31/03/2020 emitido por laboratório privado. Óbito em 01/04/20.

%d blogueiros gostam disto: