Foto: Ana Lívia do Nascimento

 


Inibidos pelo risco de contaminação durante a pandemia do novo coronavírus e pela crescente no número de casos da Covid-19, os funcionários do metrô de Belo Horizonte decidiram entrar em greve a partir da próxima quarta-feira (25/06). O objetivo é pedir que a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) volte com a escala reduzida e o revezamento de servidores.

O presidente do Sindicato dos Empregados em Transportes Metroviários de Minas Gerais (Sindimetro-MG), Romeu Neto, conta da exposição que a categoria está sujeita. “Logo no início da pandemia, a CBTU aplicou uma escala reduzida para todos e home office para os funcionários do administrativo. Os trens circulavam das 6h às 9h e depois das 16h30 às 20h”, disse. Porém, isso só foi até o dia 24 de maio. Quando a prefeitura resolveu flexibilizar o comércio da cidade, a CBTU resolveu voltar a praticamente o que era antes. Os trens passaram a funcionar das 5h40 às 20h, todos os funcionários do administrativo passaram a trabalhar presencialmente e o revezamento acabou. A única coisa que continua são os funcionários do grupo de risco que ficam em casa”, disse Romeu ao Jornal O Tempo.

Romeu ainda comunicou que houve duas reuniões para discutir o cenário, mas não aconteceu o acordo. Por isso, a paralisação fica marcada para começar às 0h da próxima quarta-feira. No período, que não tem tempo definido, funcionará no seguinte horário: das 6h às 9h e das 16h30 às 20h.

%d blogueiros gostam disto: