Créditos:  Felipe Aquino

Créditos: Felipe Aquino

O Dia dos país está chegando e o comércio da capital começa a se preparar  para receber os consumidores interessados em presentear o ‘tiozão’, nesta data.  Porém, a inflação deve deixar os belo-horizontinos mais apreensivos e atentos quanto ao preço dos produtos.

Uma pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), com 237 consumidores, no período de 23 de junho a 6 de julho, apontou que a maioria deles, cerca de 56%, deve desembolsar até R$ 100 com o presente do Dia dos Pais. O presidente da CDL/BH, Bruno Falci, explica que por causa do cenário de instabilidade econômica, boa parte das pessoas está em busca de presentes com um menor valor agregado. “A inflação alta está pressionando a renda das famílias, mas dificilmente o consumidor deixará de presentear”, disse.

Outro alerta que a Câmara faz é para o pagamento das contas sempre a vista. A estratégia é não criar dívidas para que um futuro próximo, o caso de uma piora na recessão econômica, este não seja um problema no bolso das famílias.

Outros pontos da pesquisa:

  • Roupas lideram a intenção de compra de 38,0% dos consumidores
  • Em seguida estão: acessórios (carteira, cinto, meia, gravata), calçados, material esportivo, perfumes/hidratantes, ferramentas, livros, relógio, bebida, smartphone e itens de informática
  • Para evitar dívidas, a maioria dos consumidores (76,7%) pretende pagar suas compras a vista
  • As lojas de rua devem ser procuradas por 51,9% dos consumidores
  • A maioria dos entrevistados não vai comemorar a data com jantares, almoço, viagem, etc. Mas que optar por comemorar terá um gasto médio de R$ 97,66
  • Dos consumidores que presentearam no ano passado, 69,3% afirmaram que o valor do presente deste ano será menor
  • 47,6% fazem pesquisa de preço antes de finalizar a compra
  • O preço é o item que mais atrai os consumidores às lojas, segundo 26,4% dos consumidores