Preço baixo, variedade, rapidez e disponibilidade são alguns dos benefícios que tem feito o consumidor belo-horizontino migrar das lojas de luxo para os brechós. Na busca por vestir-se bem, o consumidor tem apresentado uma mudança de comportamento e o famoso ‘mais por menos’ tomou conta do hábito na capital.

É um fato que o momento de instabilidade e crise econômica colaborou para a adesão do público aos brechós. Mais que isso, porém, este tipo de comércio tem se tornado um hábito para muitos Belorizontinos que procuram consumir a moda com qualidade, de maneira consciente e diferenciada. Boa parte do público encontra neste tipo de comércio parte de seu estilo de vida, onde podem consumir com um olhar consciente, além de encontrar produtos para qualquer ocasião.

Eliete Marques é uma das sócias do Brechó Malettas de Ignêz, que fica no Edifício Maletta. Ela conta que não só o preço tem feito diferença para quem vai ao espaço, mas também a busca por um consumo de menos impacto social e ecológico “O brechó tornou-se hábito de quem quer consumir de maneira responsável, uma vez que oferece a proposta do reuso, eliminando a ideia de consumo descartável e sem freios, que acaba gerando um acúmulo de lixo e favorece um ritmo de produção nem sempre justo com quem serve de mão-de-obra”, diz.

Outro quesito para boa parte do público que frequenta os brechós é o valor social e histórico das peças. “Os brechós se tornaram locais para quem ama moda e o que gira em torno dela. É um emaranhado de peças de épocas, estilos e propostas diferentes, realmente um lugar para se explorar e se encantar”. Conta Eliete. Entre as peças do Brechó Malettas de Ignêz, estão as vintage (originais de época), de outros países, que marcaram tendências da moda em alguns períodos, atuais, de confecções de renome, de pequenas confecções bem variadas.

“Não se trata de uma loja com um conceito aplicado às roupas, mas de um local em que as peças são múltiplas e, respeitando seu estilo e personalidade, é possível sair com um look original diferenciado e até inusitado, carregado de atitude. Cada brechó é uma mistura de vestuário e acessórios que circulam para serem novamente incorporados ao uso”. Completa Marques.