A venda de animais no mercado Central de Belo Horizonte está com os dias contados. Uma liminar concedida ao Ministério Público de Minas Gerais bloqueia a entrada de novos animais domésticos para comercialização na feira.  A liminar também exige que os animais que já estavam à venda sejam retirados das lojas.

Imagens como esta não serão mais realidade no Marcado Central #oremos (foto: reprodução).

Imagens como esta não serão mais realidade no Marcado Central #oremos (foto: reprodução).

Em caso de descumprimento da medida, o comerciante estará sujeito a uma multa de até R$ 10 mil. No texto do documento, o comércio de animais é tratado como uma “prática que os submete a sofrimento e crueldade injustificáveis”.

Até o momento não há um tempo determinado para a retirada dos animais.  Entre as irregularidades destacadas pelo órgão estão as péssimas condições de higiene, organização, espaço, ventilação e iluminação do local, grande número de animais abrigados em um único compartimento ou gaiola, irregularidade na oferta de água e alimentação, deficiente controle sanitário entre outras irregularidades, as quais foram integralmente comprovadas por laudos técnicos do Ibama.