Mesmo com a desaceleração das vendas ao longo do ano, os comerciantes da capital apostam no Natal para recuperar parte do faturamento de 2016. Prova disto é que a expectativa de 68,0% dos empresários para a data é de um desempenho melhor ou igual ao do ano anterior. Em 2015, essa era a percepção de apenas 24,8% dos entrevistados. Já o índice de lojistas que esperam um resultado pior no Natal caiu de 75,2% para 31,4%. Os que não responderam totalizam 0,6%. A pesquisa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) ouviu 175 empresários da capital e Região Metropolitana no período de 24 de outubro a 4 de novembro.

O presidente da CDL/BH, Bruno Falci, explica que apesar do período de instabilidade econômica, o forte apelo emocional do Natal levará os consumidores às lojas neste fim de ano. “E é esse comportamento que acaba ampliando a expectativa dos lojistas para as vendas na data”, afirma. “O lojista sabe que o consumidor pode até comprar presentes de menor valor agregado, mas dificilmente ele deixará a data passar em branco”, completa.

Apesar da boa expectativa do varejo para o Natal, a maioria dos empresários (44,6%) investiu em um estoque igual ao do ano passado. Falci atribui essa cautela dos comerciantes a atual conjuntura econômica. “A desaceleração do movimento no comércio gerou queda nas vendas nas principais datas comemorativas do ano” afirma. “Com isso, já era esperado certo receio por parte dos lojistas quanto ao volume das encomendas para o fim do ano”, completa. Enquanto isso, 14,3% dos entrevistados apostaram em um estoque maior e 33,7% em um volume menor. Os que não sabem ou não responderam totalizam 7,4% dos entrevistados.