Em meio a um cenário de desemprego crescente e fechamento de postos de trabalho, a Hotmart, startup especializada em produtos digitais, vive uma outra realidade e vem aumentando o número de funcionários exponencialmente nos últimos meses. Fundada por João Pedro Resende e Mateus Bicalho em 2011, a empresa tem hoje cerca de 180 funcionários e mais de 60 vagas em aberto, inclusive no exterior. Além disso, passa por um intenso processo de internacionalização, com escritórios já ativos na França e na Espanha e em desenvolvimento na Itália e na Holanda.  Só neste ano foram mais de 100 contratações. As oportunidades de emprego englobam diversas áreas como Desenvolvimento/Programação, Marketing, Design e Atendimento. “Nossa estratégia é muito baseada em ter profissionais fora da curva e otimizar velocidade e qualidade ao invés de custo”, resume João Pedro Resende, CEO e cofundador da Hotmart.

vagas-emrpegoMesmo com o alto índice de desemprego nacional, a Hotmart está com dificuldade de encontrar profissionais capacitados para as vagas disponíveis. Isso acontece porque o candidato não precisa só ter um bom currículo, mas também se encaixar no perfil dinâmico de trabalho de uma startup. “Hoje a gente está começando a buscar mão de obra fora do Estado”, resume João Pedro Resende.  Fernando é um deles. Saiu de São Paulo para assumir o cargo de analista comercial na empresa. Outro exemplo é o do sírio Bahiej Massouh, que veio para o Brasil fugido da guerra. Lá, ele era guia turístico: fala árabe e mais oito idiomas. Na entrevista para a vaga de tradutor, ele se deu bem e conquistou a vaga.

Além disso, a startup oferece alguns diferenciais para atrair e manter o profissional. Nos cinco andares que ocupa na Zonal Sul de Belo Horizonte estão espalhados videogames, balanços, um escorregador, pufes, sucos, frutas, cookies, além de serviços quinzenais, como manicure, barbearia, acupuntura e design de sobrancelhas. “O modelo tradicional não funciona mais. As pessoas querem reencontrar a diversão naquilo que fazem. O trabalho não exige que você fique oito horas em frente ao computador. A produtividade vem exatamente do contrário: quanto mais à vontade, maior sua capacidade criativa”, conclui a analista de talentos da Hotmart, Josie Ribeiro.