Depois de uma bem sucedida edição em agosto passado, o Festival Blues no Morro volta a ocupar o Grêmio Recreativo Escola de Samba Cidade Jardim (rua do Mercado, 150, Conjunto Santa Maria) no dia 16 de dezembro (sexta-feira), a partir das 19h. O evento reunirá o melhor do blues produzido na capital, além de dança, oficinas de pintura e de  grafite. E quem deseja tornar a noite ainda mais marcante, ainda poderá  fazer uma tatuagem com o Estúdio Leu Denann.

O Captain Farrel é uma das atrações confirmadas (foto divulgação/ Captain Farrel).

O Captain Farrel é uma das atrações confirmadas (foto divulgação/ Captain Farrel).

O line-up do evento será composto pelo trio de blues Regali Blues Band (Rafael Regali, Babys Regali e Lucas Sá) que agitará o público ao som de grandes nomes do blues, como Muddy Waters, T-Bone Walker, Screamin Jay Hawkins, Albert King e Ray Charles. Também sobe ao palco da Escola de Samba a banda de country e folk Captain Farrel (Felipe Dolabela, Raphael Ursino e Thadeu Santero) apresentando um repertório recheado de Johnny Cash, Willie Nelson, Bob Dylan, Hank Williams, Creedence e  Neil Young. E a banda de blues Bulldose (Eduardo Sanna e Luciana Periard) se apresentarão com clássicos de Louis Armstrong, Slim Harpo, Mungo Jerry e Eric Clapton.

O Festival, que é idealizado pelas produtoras Era Vinil e Vitrola Viva, tem por objetivo movimentar a cena do blues em Belo Horizonte e popularizar o estilo para novos tipos de público, além de se firmar de vez no calendário cultural de Belo Horizonte, com apresentações trimestrais.

“Assim como outros ritmos afroamericanos, o blues pode ser observado como uma linguagem musical, que, ao longo da história, possibilitou o nascimento de outros ritmos como o hip hop, funk, jazz, rock e folk. O intercâmbio entre a música afroamericana viabiliza a criação de novos gêneros musicais e a integração entre os diferentes públicos no Brasil e no mundo”, afirma Rafael Regali, vocalista da Regali Blues Band.

O papel da dança no Festival
Pouca gente sabe, mas a dança também está fortemente no blues. Por isso, os organizadores do evento convidaram o grupo de dança belo-horizontino Manifesto 1, composto por Guilherme Veras, Luiza Alvarenga , Nathalia Nogueira e Marcos Tito. Entre uma canção e outra, o grupo se divide em performances solos, duplas e coletivas.

Acompanhe um pouquinho da primeira edição do Blues do Moro: