A Guarda Municipal de Belo Horizonte passa a acompanhar os ônibus do transporte coletivo com maiores números de ocorrências de roubos. O objetivo é prevenir e reverter os atuais índices de assaltos a passageiros de ônibus e garantir a segurança da população. Cerca de 80 guardas estão empenhados na operação.

Assista ao vídeo do primeiro dia de operações:

Desde segunda-feira, Guardas municipais embarcaram em coletivos que transitam pelas avenidas Antônio Carlos e Nossa Senhora do Carmo. Outros corredores de tráfego serão alvo das abordagens, no decorrer dos próximos dias. Promovida pela Secretaria Municipal de Segurança Urbana e Patrimonial, a operação tem caráter preventivo e será contínua, ocorrendo sempre em áreas onde os levantamentos apontem maior frequência de assaltos em ônibus, praticados, sobretudo, por criminosos que visam ao roubo de celulares dos passageiros.

Cerca de 80 guardas municipais embarcam em duplas nos coletivos que circulam nas duas avenidas, permanecendo ali durante os trechos onde os índices de roubos são mais preocupantes. Na ocasião, o ônibus conta com a escolta de uma viatura da corporação.

Índices
Os corredores de tráfego das avenidas Antônio Carlos e Nossa Senhora do Carmo foram escolhidos porque se destacam como principais áreas em incidência de roubos consumados e tentados a transportes coletivos, segundo levantamentos realizados de janeiro de 2015 a junho de 2016, pelo banco de dados da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), conforme quadro abaixo. O comandante-geral da Guarda Municipal, Rodrigo Prates, destaca que será a primeira operação especial da Guarda Municipal na nova gestão da Prefeitura de Belo Horizonte. “Será um divisor de águas e marcará a mudança na forma de atuação do efetivo, que a partir de agora será visto com frequência nas ruas da Capital, como forma de aumentar a sensação de segurança da população”, antecipa.