Em reunião no Palácio da Liberdade, na manhã desta segunda-feira, dia 23, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, e o governador do Estado, Fernando Pimentel, iniciaram as discussões para traçar as primeiras estratégias em segurança pública para Belo Horizonte. “Nós precisamos da ajuda do governo, sabemos que a população está insegura. Iniciamos hoje uma etapa importante e definitiva para os próximos quatro anos que é a integração do estado com o município”, disse o prefeito Kalil.

Estado e Prefeitura trabalharão integrados para melhorar a segurança em BH e, a partir, do próximo mês a capital receberá 66 bases comunitárias móveis, chegando a um total de 86. Em cada uma, haverá quatro policiais militares, sendo dois deles equipados com motocicletas. A ideia é aumentar a segurança na cidade e tornar mais ágil e efetivo o atendimento ao morador com os boletins de ocorrência.

O prefeito Alexandre Kalil anunciou o aumento do número de policiais militares nas ruas de BH, com a utilização de novos formandos da PM. “Vamos colocar mais 500 homens nas ruas, aumentando o efetivo para 4.600 policiais. Nós vamos batalhar para cumprir tudo o que propusemos, fazendo funcionar o que já existe, com menos dinheiro, mas com mais organização, mais treinamento e mais inteligência”, afirmou.

Também participaram da reunião o secretário de estado de Segurança Pública, Sérgio Menezes, o chefe da Polícia Civil, João Otacílio Silva Neto, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Helbert Figueiró, o chefe do Gabinete Militar do Governador, Fernando Antônio Arantes, o secretário de estado de Governo, Odair Cunha, o secretário de estado de Administração Prisional, Francisco Kupidlowski, o secretário de estado de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, o secretário municipal de Segurança Urbana e Patrimonial, Cláudio Beato, e o comandante da Guarda Municipal, Rodrigo Prates.