No dia 24 de março, Djavan chega a Belo Horizonte, no BH Hall, para apresentar a turnê do vigésimo terceiro álbum de sua carreira, Vidas pra Contar. Além de canções do novo disco, aclamado pela imprensa especializada, o repertório do espetáculo inclui também sucessos do artista alagoano, que completou 40 anos de carreira em 2015, ano em que também foi agraciado com o Grammy Latino de excelência musical, em homenagem ao conjunto de sua obra.

Assista a Oceano, um dos clássicos do artista:

Entre as canções confirmadas no repertório do show estão “Não é um Bolero” e “Encontrar-te”, do último álbum, e as clássicas “Outono”, “Boa Noite” e “Eu te Devoro”. Acompanhado por Carlos Bala (bateria), Jessé Sadoc (flügelhorn, trompete e vocal), Marcelo Mariano (baixo e vocal), Marcelo Martins (flauta, saxofone e vocal), Paulo Calasans (teclados e piano) e João Castilho (guitarras, violões e vocal), o artista é quem assina a direção do espetáculo, que tem iluminação de Binho Schaefer e figurino de Roberta Stamato.

“Existe entre nós, eu e os músicos, um código musical que permite voos para todas as direções, e isto é uma coisa que me ajuda muito, uma vez que persigo sempre a diversidade. Eu acho que a diversidade me impõe a estar sempre correndo riscos, e eu preciso disso”, conta o músico.

O cenário da turnê, concebido por Suzane Queiroz, foi desenhado a partir do conceito de que a vida de cada pessoa é um grande livro em branco que vai sendo preenchido linha por linha, página por página, a cada alegria, tristeza, conquista, e a cada novo amor que chega e que parte, ao longo do tempo. O show se inicia em um espaço vazio inteiramente preto até que um grande livro se abre ao fundo, no centro do palco. Surgem então as primeiras páginas em branco, preenchidas por luzes coloridas e linhas verticais que pouco a pouco invadem o cenário, com escritos em espiral, círculos, grafismos poligonais e Art Nouveau.