A principal data comemorativa do primeiro semestre, o Dia das Mães é aguardado pelo varejo e pelos consumidores, e este ano a expectativa é que ela seja positiva. De acordo com pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) oito em cada dez moradores da capital (81,8%) pretendem presentear as mães este ano.  Entre as faixas etárias, os jovens (de 18 a 24 anos) são os que mais irão adquirir itens para as mães.

“Está é uma data que possui um grande apelo emocional, por isso os consumidores sempre buscam uma maneira de presentear. E com um cenário econômico um pouco melhor, os belo-horizontinos pretendem ir as compras nesta data”, comenta o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva. Entre os moradores da capital que não vão comprar presentes neste Dia das Mães (18,2%), os principais motivos são: não tem ninguém para presentear (61,2%) e falta de dinheiro (21,1%).

Foto: adobe free photos.

Foto: adobe free photos.

O tíquete médio dos presentes deste ano deve ser de R$ 124,73, considerando todos os produtos que cada consumidor irá comprar. “Esse valor vai de acordo com os itens que devem ser mais procurados na data, e segue a mesma faixa de 2018 (R$ 122,75)”, explica Silva. O valor desembolsado pelo consumidor neste Dia das Mães pode variar conforme o tipo de produto escolhido.

Quem for presentear com joias e bijuterias irá desembolsar o maior valor. O tíquete médio para estes itens será de R$ 167,63. A compra de calçados deve girar em torno de R$ 106,54. Já os menores valores pagos serão em perfumes e hidratantes (R$ 87,75) e roupas (R$ 85,62). Os consumidores que estão dispostos a desembolsar o maior valor nesse Dia das Mães pertencem a classe A/B (R$ 268,18). Já entre os gêneros, o tíquete médio dos homens será mais alto (R$ 167,07) que o das mulheres (R$ 116,59).

Quando perguntados sobre onde irão realizar suas compras, a maioria dos entrevistados respondeu (41,7%) que o local escolhido para adquirir o presente para o Dia das Mães será em estabelecimentos que fiquem perto de suas casas. Já 33,8% preferem próximo ao trabalho. As lojas em centros comerciais foi a opção citada por 67,7% dos consumidores como lugar ideal para a realização das compras, seguido pelos shoppings centers (27,1%) e internet (7,7%).