Mais uma vez, o prefeito Alexandre Kalil (PHS) causou polêmica numa aparição pública. A insinuação foi porque, segundo ele, grandes empresários  estão tentando comprar a Prefeitura e a Câmara Municipal em troca de uma alteração no Plano Diretor de Belo Horizonte.

“A Prefeitura de Belo Horizonte não está à venda, o Executivo não está à venda e a Câmara Municipal não está à venda”, disparou durante uma coletiva. A nova regra supostamente reduziria o lucro das construtoras nos grandes empreendimentos imobiliário.

“Não adianta o sindicato dos poderosos, dos grandes empresários, arrecadar dinheiro para minar quem está trabalhando nessa cidade, que são os vereadores, para tentar minar quem está aqui há anos fazendo o que a sociedade clama, ou seja, a boa política, que não colou e não vai colar”, continuou.