Quatro meses após o rompimento da barragem em Brumadinho, a Vale continua com as ações de reparação e prestação de assistência a todos os atingidos. As ações incluem acolhimento, assistência psicológica, atendimento médico, obras de recuperação de infraestrutura, auxílio financeiro, indenizações, aportes a instituições que estão colaborando com a empresa no apoio humanitário, além da criação de uma nova diretoria para reparação.

Até o momento, mais de 69 mil moradores já receberam indenizações emergenciais em 15 municípios: Brumadinho, Mário Campos, São Joaquim de Bicas, Betim, Juatuba, Igarapé, Florestal, Esmeraldas, Pará de Minas, São José da Varginha, Maravilhas, Fortuna de Minas, Pequi, Paraopeba e Curvelo. No total, 275 famílias de vítimas em Brumadinho receberam como doação, cada uma, R$100 mil; 100 residentes de imóveis da Zona de Autossalvamento receberam R$50 mil; e 91 pessoas que tiveram seus negócios ou produção rural impactados pelo rompimento receberam R$15 mil.

Além disso, mais de 62 mil agendamentos foram realizados e mais de 93 mil pessoas se cadastraram nos Postos de Registro de Indenização emergencial (PRI), disponibilizados pela empresa em vários locais. Tais pagamentos valem para todas as pessoas que residiam em Brumadinho ou que moravam até 1 quilômetro da calha do Rio Paraopeba desde Brumadinho até a cidade de Pompéu, na usina de Retiro Baixo, no dia 25/1/2019. Os valores estão sendo depositados após a Vale firmar um acordo preliminar com a Advocacia-Geral do Estado de Minas Gerais, o Ministério Público do Estado de Minas Gerais, a Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais, a Advocacia-Geral da União, o Ministério Público Federal e a Defensoria Pública da União, visando a soluções para as questões emergenciais.

Foto: André Penner/reprodução.

Foto: André Penner/reprodução.