Entre 6 e 19 de junho, acontecerá o Festival Varilux de Cinema Francês simultaneamente em diversas cidades do Brasil e BH está novamente na rota. Na capital mineira, salas do Cinemark Pátio Savassi, Cine Belas Artes e NET Cine Arte Ponteio recebem os mais variados filmes da programação.

Foto: Mariana Guerra.

Foto: Mariana Guerra.

No ano em que completa uma década, o Varilux prevê ultrapassar a marca de um milhão de espectadores. Nos últimos dez anos, o festival conquistou o cinéfilo brasileiro e também um espectador comum, interessado na diversidade cultural. O festival foi crescendo gradativamente em número de cidades, de salas de cinema e de público. Em 2018, atingiu quase todo o Brasil, tendo passado por 88 municípios, 118 salas e consumido por um público de 172 mil pessoas de todas as idades. A tradicional maratona de filmes franceses é uma realização da distribuidora Bonfilm em parceria com a Aliança Francesa BH.

A programação está em confirmação, mas na seleção de 2019 já destacam-se as seguintes produções: A animação “Astérix e o Segredo da Poção Mágica” (Asterix – Le Secret de la Potion Magique), de Alexandre Astier e Louis Clichy, verdadeiro fenômeno, que vendeu cerca de quatro milhões de ingressos na França. O público brasileiro já conhecia esse famoso personagem de quadrinhos – que se tornou um símbolo da resistência francesa à globalização – do Varilux de 2010, quando a animação “Asterix e o domínio dos Deuses” integrou a programação.

O ambicioso e espetacular filme histórico “A Revolução em Paris” (Un Peuple et son Roi) de Pierre Schoeller, que retrata a gênesis da Revolução Francesa. Essa produção, que foi construída a partir de uma pesquisa de quase seis anos e custou 17 milhões de euros, reúne um elenco excepcional formado por nomes como Louis Garrel, Adèle Haenel, Izïa Higelin, Gaspard Ulliel, Laurent Lafitte, Olivier Gourmet e Denis Lavant, entre outros.

“Graças a Deus” (Grâce à Dieu), último filme de François Ozon. Vencedor do Urso de Prata no Festival de Berlim este ano – prêmio do júri, tem como base uma história real que conduziu à condenação do cardeal francês Philippe Barbarin por seu silêncio sobre os abusos sexuais cometidos contra menores de idade por um padre de sua diocese. O filme estreou na França em fevereiro de 2019, apenas alguns dias antes do julgamento do Cardeal e suscitou muitos debates.

A ampliação do Festival Varilux de Cinema Francês, realizado pela produtora Bonfilm, é resultado de parcerias fundamentais e duradouras. Além do patrocinador principal a Essilor/Varilux, estão o Ministério da Cidadania por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura; a Secretaria de Estado de Cultura, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro; a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. Outros parceiros importantes são as unidades das Alianças Francesas em todo Brasil, as distribuidoras dos filmes e os exibidores de cinema independente/de arte e as grandes redes de cinema comercial. Em BH, a Aliança Francesa conta com o apoio do La Parisserie e do Mon Caviste.