A Sala Minas Gerais é uma das mais modernas do mundo (foto: André Fossati).

Foto: André Fossati.

Nos dias 27 e 28 de junho, às 20h30, na Sala Minas Gerais, a Filarmônica de Minas Gerais une-se ao regente convidado, o mexicano Enrique Arturo Diemecke e a Jean-Louis Steuerman, um dos mais importantes pianistas brasileiros, na interpretação do vivaz Concerto para piano nº 1 em sol menor, op. 25, de Mendelssohn e da recente Fantasia Tarumã, do compositor carioca Ripper.

A Sinfonia nº 2 em si menor, de Borodin, uma sinfonia essencialmente russa, de inventividade melódica e ritmo estimulante, encerra este programa marcado pela diversidade de estilos e emoções. Antes das apresentações, entre 19h30 e 20h, o público poderá assistir aos Concertos Comentados. O convidado desta semana é o músico, crítico e escritor Igor Reyner. As palestras são gravadas em áudio e ficam disponíveis no site da Orquestra.

Diretor artístico do Teatro Colón em Buenos Aires, Enrique Arturo Diemecke foi também o primeiro estrangeiro a atuar como Diretor Artístico da Filarmônica de Buenos Aires. Nascido em Guanajuato, no México, Diemecke foi premiado com a medalha da Mahler Society pela interpretação das sinfonias completas do compositor austríaco. O maestro já regeu orquestras como as sinfônicas de São Francisco, Nacional de Washington, da BBC, e as filarmônicas de Varsóvia, Los Angeles, Bogotá e a Royal Philharmonic de Londres e a Orquestra de Paris. Com vasta experiência como regente de óperas, entre 1984 e 1990, coordenou mais de vinte produções no Palácio da Belas Artes, mais importante teatro do gênero na Cidade do México. Seus estudos em música clássica começaram aos seis, com o violino, orientado por Henryk Szeryng. Aos nove anos, o futuro maestro adicionou trompa, piano e percussão aos estudos do pupilo.