Foto: pixabay.

Foto: pixabay.

O anúncio de investimentos em energia solar no Estado, como parte de projetos para construção de usinas fotovoltaicas. Esse foi um dos principais assuntos abordados pelos deputados, na fase de Oradores, na Reunião Ordinária de Plenário. Além desse tema, foram enfocados ainda o plano estratégico para ferrovias e uma denúncia sobre atuação de mineradora no Serro (Região Central). Da tribuna da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), fizeram pronunciamentos os deputados Gil Pereira (PP) e João Leite (PSDB) e a deputada Beatriz Cerqueira (PT).

Gil Pereira destacou o anúncio de investimentos de R$ 21 bilhões da empresa Solatio Energia no Estado, até 2023, para implantar usinas fotovoltaicas. Entusiasta das energias renováveis, ele ressaltou que dez cidades mineiras estão incluídas nos projetos de fazendas solares, que gerarão mais de 7,2 mil megawatts (MW). A Solatio tem em funcionamento uma usina dessas em Pirapora (Norte).

“Levamos a Solatio até Janaúba e a empresa já tem 4,5 mil hectares para criar uma planta de 1,5 gigawatts até 2022, energia que está vendida ao sistema elétrico nacional”, citou. Ele disse que os investimentos fizeram o preço da energia cair: “No primeiro leilão para o setor, o megawatt saía por R$ 320; no último, caiu para R$ 76. Também serão implantadas unidades em Francisco Sá, Januária, Várzea da Palma, Jaíba, Coromandel, entre outros municípios”.

“Acredito que teremos um novo ‘ciclo do ouro’ em Minas Gerais, só que agora a riqueza é a energia renovável”, declarou o parlamentar, que tem uma longa militância na área. Em aparte, o deputados Alencar da Silveira Jr. (PDT) ressaltou o trabalho da Assembleia, em especial de Gil Pereira, na atração dos investimentos programados pela Solatio. Por isso, fez duras críticas ao governador Romeu Zema, que teria anunciado a chegada dos recursos como sendo obra do atual governo. Gil Pereira concordou com Alencar da Silveira Jr., no que diz respeito ao protagonismo da ALMG, e disse que o governador fará novo pronunciamento reconhecendo esse trabalho dos parlamentares.