Com uma equipe transdisciplinar, o Centro Especializado Nossa Senhora D´Assumpção - CENSA, oferece uma proposta diferenciada de atividades especiais que promove, além de cultura, a inclusão, com oficinas de arte como música, teatro e artesanato; instituição recebe educandos de diversas partes do país (foto: divulgação).

Com uma equipe transdisciplinar, o Centro Especializado Nossa Senhora D´Assumpção – CENSA, oferece uma proposta diferenciada de atividades especiais que promove, além de cultura, a inclusão, com oficinas de arte como música, teatro e artesanato; instituição recebe educandos de diversas partes do país (foto: divulgação).

A arte vai muito além das fronteiras quando consegue, ao mesmo tempo, entreter e trazer resultados além do esperado, principalmente em pessoas com deficiência intelectual. Vendo a importância da arte como fator de transformação, o Centro Especializado Nossa Senhora D´Assumpção – CENSA (BR-381, 494 – Jardim Petrópolis, Betim – MG) colocou à prova essa ideia como modalidade recreativa e de tratamento para pessoas com deficiência, tanto que, há 55 anos, a instituição promove oficinas de teatro, música e artesanato como ferramenta para a inclusão dos educandos.

A arte abre novas possibilidades de expressão. Por isso, o CENSA trabalha com os educandos atividades artísticas, como o teatro e a música. De acordo com Paula Mizael, monitora de teatro do CENSA, existe muita animação no processo de criação das montagens teatrais com os educandos. “Percebe-se muito entusiasmo nos processos de criação dos espetáculos, o desenvolvimento da autonomia e da capacidade de escolha dos educandos. Desde a montagem até a escolha de figurino, tudo é pensado com a participação de todos. Fica evidente a satisfação deles ao se reconhecerem capazes de desempenhar seus papéis”, disse.

Além das aulas de teatro, os educandos participam das sessões de musicoterapia. São momentos onde eles podem ter contato com instrumentos de corda e percussão, além de canto e apreciação de diversos estilos musicais. Para Bárbara Carvalho, musicoterapeuta da instituição, a música se torna uma ferramenta importante nesse processo. “Um dos principais aspectos desenvolvidos durante as sessões de musicoterapia estão relacionados à linguagem e a capacidade de comunicação dos educandos. A música se torna uma forma de expressão em um contexto em que muitos não possuem comunicação verbal. Através do canto e do contato com os instrumentos musicais, os educandos interagem e se expressam musicalmente”, comenta.

Todas essas atividades oferecidas pelo CENSA, são formas de fomentar e aprimorar a coordenação motora, o cognitivo além de também promover a interação social. Com atendimento particular, o CENSA cumpre a missão de apoiar e garantir o a qualidade de vida da pessoa com deficiência intelectual. Para dar todo o suporte e orientação necessária, o centro possui uma equipe multidisciplinar que conta com psiquiatra, clínico geral, psicóloga, enfermeira, nutricionista, farmacêutica, musicoterapeuta, fisioterapeuta, pedagoga e fonoaudióloga.