O genocídio cometido pelos nazistas ao longo da Segunda Guerra Mundial, no ano de 1945, matando cerca de 6 milhões de pessoas, teve como sua fiel aliada a indústria farmacêutica, que ao mesmo tempo fornecia o gás Zyklon B para asfixiar e, um comprimido para tentar sanar a dor dos judeus torturados. Para mostrar que essa lastimável situação jamais será esquecida, o espetáculo aSSpirina, estará em cartaz nos dias 21 a 24 e 28 a 31, quarta a sábado, às 20h, no espaço La Movida MicroTeatro.

Com a atuação da atriz Velma Pimenta, o monólogo mistura ficção e realidade e mostrará parte dessa barbárie causada também com o apoio da indústria farmacêutica. “A peça aSSpirina é um teatro documentário e no desenrolar das cenas são retratadas as barbáries do Holocausto e a intrínseca parceria da Segunda Guerra Mundial e a indústria farmacêutica, como máquina de destruição em massa. O nome aSSpirina é um trocadilho entre o nome do comprimido criado durante este período pela mesma indústria farmacêutica que criou o gás Zyklon B”, explica a artista.

O gás Zyklon B, que ficou mundialmente conhecido após o Holocausto, era usado nas câmaras de gás nazistas e a SS – Schutzstaffel (Tropa de Proteção), que era subordinada pelo partido nazista recrutando milhares de pessoas para o Terceiro Reich. “É uma história para prender o espectador do início ao fim, com entretenimento e história, para pensarmos nas atrocidades cometidas pela humanidade”, finaliza Velma Pimenta.