Beatriz Ferreira é a boxeadora brasileira mais cotada para os jogos (foto: Reuters).

Somadas, as diferentes modalidades de lutas corporais são responsáveis por distribuir a maior quantidade de medalhas dos Jogos Olímpicos. Se compreendermos o boxe, a esgrima, o judô, o Taekwondo, a luta greco-romana e o karatê, são 71 provas.

De todas essas seis modalidades, o Brasil está melhor no judô (conforme já mostramos nessa reportagem). Além disso, também estamos bem cotados no boxe com atletas renomados como Beatriz Ferreira e Robson Conceição, atual campeão olímpico.Nas demais modalidades, a participação brasileira depende de resultados de terceiros. O que a torna mais difícil.

Como o caso do karatê, modalidade que temos apenas um atleta na de classificação: Valéria Kumizaki e Douglas Brose. Também é o caso da esgrima que temos apenas dois nomes na zona de classificação: Nathalie Moellhausen e Guilherme Toldo.

Não é diferente com o taekwondo e atletas como Talisca Reis, Milena Titoneli, Paulo Ricardo Melo. Edival “Netinho” Pontes e Ícaro Miguel. Assim como na luta greco-romana com apenas Aline Silva nos destaques pelo ranking classificatório.

Para ambas modalidades, ainda existem mais oportunidades do que as vagas já distribuídas. Os ranking devem fechar no final de abril de 2020, o que estende o tempo de cada um dos atletas para se empenharem e conquistarem suas vagas para a maior competição do mundo.