“O bombardeio chegou à nossa cidade. E nós vamos tentar controlá-lo”, disse o prefeito Alexandre Kalil (PSD), em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (26/06). Na ocasião, o líder do legislativo anunciou que BH retrocederá com a abertura do comércio por conta do avanço da Covid-19 na capital mineira.

A partir de segunda-feira (29/06), apenas os serviços essenciais vão poder funcionar em Belo Horizonte. Até o momento, as medidas não se tratam de um lockdown, mas o prefeito também não descartou a possibilidade de adotar tal medida restritiva considerada a mais extrema. “A compreensão de que nós estamos em guerra é o que faltou a muita gente. Quando eu disse que nós estávamos em guerra, vocês estavam aqui. Eu nunca vi fazer churrasco em prédio em guerra. Eu nunca vi correr em guerra”, desabafou.

Outra medida anunciada é a obrigatoriedade para o uso de máscara ao sair de casa, seja qual for a finalidade. O projeto de lei foi aprovado na quinta-feira (25/06 pela Câmara Municipal de Belo Horizonte e será sancionado assim que chegar à prefeitura, comunicou Kalil. Conforme o último boletim, BH tem 4.977 casos confundidos da Covid-19 e 118 óbitos decorrentes a doença.