Foto: Agência Minas

 

Conforme divulgado nessa quarta-feira (22/7) pelo secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Carlos Eduardo Amaral, os dados da pandemia em Minas apontam para uma estabilização. Embora o momento seja de alerta devido ao número alto de casos, o estado não ultrapassou o registro de 60 mortes por dia por data de óbito e mantém, nos últimos sete dias, uma média diária de 59 pacientes mortos pela covid-19, o que sugere um platô da epidemia.

A Secretaria de Saúde acompanha constantemente a evolução no número de óbitos causados pelo coronavirus. Quando um paciente morre supostamente por causa da doença, porém sem que haja uma confirmação, são feitos exames para investigar a causa da morte, o que pode demorar muitos dias para o resultado. Confirmada a causa pela covid-19, o óbito, então, é registrado no boletim epidemiológico da SES, o que não significa que a pessoa morreu naquele dia.

Por esse motivo, a SES faz o monitoramento do cenário pandêmico baseando-se na data do óbito do paciente. Na terça-feira (21/7), por exemplo, morreram duas pessoas no estado infectados pela covid-19. Trata-se de uma mulher de Betim, de 51 anos, e um homem, de 82, da cidade de Uberlândia. Ambos tinham confirmação para a infecção.

No entanto, o boletim epidemiológico de quarta-feira (22/07) divulgou o acumulado dos últimos dias, o que totalizou em 95 registros de mortes nas últimas 24 horas. A alta se deve ao acúmulo de dados represados pelos municípios, tanto por falta de profissionais para atualização aos sábados e domingos quanto por resultado de confirmação dos óbitos pela covid por laboratório.