Foto: PBH

 

Em entrevista ao portal do Jornal Hoje em Dia, o superintendente do Mercado Central de Belo Horizonte, Luiz Carlos Braga, confessou que a Instituição poderá perder mais de 30 lojas nos próximos dias. O motivo é a pandemia do novo coronavírus e os impactos econômico oriundos do fechamento do comércio.

Luiz contou que já recebeu o comunicado de alguns dos lojistas dizendo que não retornarão após a reabertura. Neste momento, cinco das oito portarias do mercado estão desabilitadas. “Esperamos o momento adequado para reabrir. Vivemos uma situação lamentável, mas queremos funcionar com segurança para a população”, disse ao Hoje em Dia.

Apenas as lojas que prestam serviços essenciais estão autorizadas a funcionar. Ainda de acordo com o Hoje em Dia, com a medida, apenas 110 dos 380 estabelecimentos do mercado estão autorizados a funcionar. Antes da pandemia, cerca de 31 mil pessoas passaram pelas galerias diariamente. Agora, apenas 2 mil.