Foto: Adobe Stock

 

Nesse cenário triste e turbulento de pandemia, ao menos uma boa notícia neste ano de 2020. Dados do IPC Maps, especializado em potencial de consumo, apontam para uma queda de 5,2% na média de gastos relacionados ao fumo nos últimos anos no País.

De acordo com o estudo, em 2015, enquanto as despesas na categoria chegaram a R$ 19,1 bilhões (0,6% do orçamento da população), a previsão para 2020 é de cerca de R$ 18,1 bilhões, representando 0,4% do orçamento. A redução para este ano é ainda mais significativa quando comparada a 2019, quando os gastos com cigarro, charutos, etc foram de R$ 19,1 bilhões — o que equivale a uma diferença de 5,4% no setor.

Essa retenção no consumo de fumo vem ocorrendo sobretudo nas classes sociais mais baixas. Segundo Marcos Pazzini, responsável pelo IPC Maps, ainda em relação a 2019, “se agruparmos os números em duas classes sociais A+B e C+D+E, nota-se que o potencial de consumo terá crescimento expressivo nas classes A e B (com R$ 155,3 milhões a mais em 2020), em detrimento das classes C+D+E, que gastará R$ 864,2 milhões a menos no período.”

Esse é apenas um recorte da pesquisa IPC Maps, finalizada em maio último, que leva em consideração todo o cenário de pandemia, destacando que o consumo nacional nos diversos setores econômicos se igualará a índices de 2012, com a maior retração desde 1995. Caso interesse, podemos disponibilizar a íntegra do estudo com dados nacionais e/ou regionais, divididos por setores econômicos e classes sociais, tanto de 2020 quanto de anos anteriores.