De acordo com o presidente do Sindicato das Empresas do Transporte de Passageiros (Setra-BH), Joel Paschoalin, à Rádio Itatiaia, o setor da mobilidade urbana em Belo Horizonte deve enfrentar uma crise em pouco tempo. O dirigente acredita que, devido o quadro da pandemia, o funcionalismo do transporte público da capital deve passar por demissões em massa.

“A questão financeira das empresas é bem preocupante. A gente já está ficando sem tempo. Será inevitável a demissão em massa de um percentual dos funcionários. Algumas empresas já estão até demitindo. […] No setor de transporte tiveram vários horários retirados e isso, consequentemente, causou algumas demissões. Os que operam no sistema operam de maneira reduzida, alguns em rodízio”, alega o sindicalista.

Ainda à Itatiaia, Paschoalin comentou que entre abril e maio, quando foram adotadas medidas de fechamento mais severas na capital mineira, a queda de movimento de usuários chegou a 70%. Atualmente, ela é de 49% e cerca de 70% das viagens, em relação a antes da pandemia, foram restabelecidas. “Nós estamos dando mais viagens, proporcionalmente, por passageiros que dávamos antes, mas ainda está longe do passageiro que a gente precisa”, completa.