Foto: Larissa Mayre

 

A forte chuva que atingiu Belo Horizonte nesta semana danificou as cobras do Circuito de Arte Urbana (CURA), instaladas no VIaduto Santa Teresa, Centro de Belo Horizonte. A força do vento acabou danificando a obra.

De acordo com um dos vigias da instalação, as lâmpadas acabaram queimando por conta da tempestade e as cobras ficaram apagadas. O segurança não soube informar se haverá reparos na estrutura, ou se ela será removida e se, ainda, ficará exposta mesmo com defeito. A previsão da retirada é o dia 25 de outubro.

As duas serpentes infláveis se encontram no meio do viaduto e tem como simbologia a cura. Conforme a crença indígena, ela é considerada um “animal de poder” e está presente como força de cura, regeneração e transformação, com capacidade de “comer as doenças” mais graves que acometem o homem. A obra tem 40 metros e foi criada pelo artista contemporâneo de Roraima, Jaider Esbell.