Foto: Corpo de Bombeiros

 

Belo Horizonte tem passado por momento de extremidades climáticas nas últimas semanas. Quando esfriou, esteve congelante demais. Quando fez calor, também foi em excesso a ponto da cidade registrar o recorde histórico de temperatura e dezenas de queimadas culminarem as matas. Agora, a onde de temporais tem causado vendavais e chuva de granizo a ponto de assustar os moradores.

Na noite de quarta-feira (14/10), um temporal atingiu todas as nove regionais da capital e algumas cidades da região metropolitana. A ventania intensa chegou a quase 98km/h e arrancou árvores do chão, derrubou muros e causou problemas a rede elétrica. No bairro Pompeia, na região Leste da capital, as paredes laterais do terceiro andar de uma residência caíram sobre a casa do vizinho (foto acima). Ninguém ficou ferido.

De acordo com a Defesa Civil, em todas as regiões houveram registros de chuva forte, mas as regiões do Barreiro, Oeste, Noroeste e Pampulha foram as que registram volumes mais intensos. A BHTrans chegou a enviar um comunicado para motoristas evitarem trafegar pela avenida Vilarinho, em Venda Nova.

Moradores da região da Pampulha e da regional Norte chegaram a registrar chuva de granizo em bairro em bairros como Santa Amélia, Ouro Preto e Planalto. No Centro, Caiçara e no Floresta, também ocorreram relatos de moradores referentes a granizo.

Próximo a Estação São Gabriel foram registrados alagamentos com o transbordo do córrego Cachoeirinha. Outro córrego que preocupou foi o Capão, em Venda Nova, ao chegar em seu limite durante o ápice da chuva.

Entre 19h e 21h, a Defesa Civil registrou a maior quantidade de chuvas na Região Nordeste da cidade, onde caíram 37,6 milímetros. O valor equivale a 35,9% da média histórica esperada para o mês que fica em torno de 104,7 mm.

Toda essa chuva,causou tantos danos, que a Cemig reforçar o número de equipes para os atendimentos na manhã de quinta-feira (15/10). Chegou a faltar luz em alguns pontos. Segundo a corporação, após o início das ocorrências, cerca de 400 profissionais foram empenhados para o início dos reparos.

Já na região Metropolitana, o transtorno não foi diferente. A orla de Lagoa Santa registrou alagamento na altura do bairro Praia Angélica. Sabará, Ribeirão das Neves e Ibirité também tiveram ocorrências de quedas de árvores e de energia.

Uma árvore caiu na Rua A, no bairro Luar da Pampulha, em Contagem, na Grande BH, e levou junto a fiação elétrica. Ainda em Contagem, no bairro Eldorado, houve muita ventania, assim como na capital mineira. No Centro da cidade, o vento chegou a danificar a estrutura das casas e comércios.

Veja o acumulo de chuva por regional de BH, de acordo com a Defesa Civil:
Barreiro – 26,4 (25,2%)
Centro Sul – 30,6 (29,2%)
Leste – 30,4,8 (29,0%)
Nordeste – 37,6 (35,9%)
Noroeste – 31,2 (29,8%)
Norte – 35,8 (33,2%)
Oeste – 28,6 (27,3%)
Pampulha – 33,0 (31,5%)
Venda Nova – 24,0 (22,9%)

Média Climatológica outubro: 104,7 mm