Foto: CMBH

 

Um boletim formatado pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) em Estações Sustentáveis de Tratamento de Esgoto, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), não trouxe notícias animadores para a população de Belo Horizonte. De acordo com os número do estudo, a Covid-19 volta a crescer em ambas cidades.

Amostras de esgoto coletadas nas bacias hidrográficas dos ribeirões Arrudas e Onça, 16 e 30 de outubro, em Belo Horizonte, registraram forte presença do coronavírus. Conforme estimativa, atualmente, cerca de 450 mil pessoas estejam contaminadas pelo coronavírus na capital mineira.

Esse número cresceu bruscamente na comparação com o mesmo período anterior. Há quase o mês, no dia 6 de outubro, este número era estimado em 380 mil. De acordo com o documento, este aumento na concentração do coronavírus no esgoto podem ser indícios de um agravamento da pandemia, que estariam relacionados “à gradativa retomada de atividades do setor de serviços, bem como às aglomerações, em especial em ambientes fechados“.