Foto: Pixabay

 

A reabertura gradual das academias e parques foi muito esperada. Depois de meses em isolamento e com poucas possibilidades de manter o ritmo dos treinos, os amantes de esportes estão comemorando. Mas é preciso cuidado nesse retorno para evitar as lesões por stress. Segundo o Ortopedista e Médico responsável pela Seleção Brasileira de Basquete Feminimo, Paulo Roberto Szeles, o número de pacientes com esse tipo de lesão no retorno aos treinos, tem aumentado significativamente.

“A pandemia mexeu com todo mundo, não só fisicamente, mas mentalmente também. Percebo que muitas pessoas que estavam ansiosas para voltar a treinar foram com muita sede ao pote, não respeitando uma adaptação necessária nesse retorno. Não podemos esquecer que sempre que paramos de fazer uma atividade ou diminuímos o ritmo, é preciso ter paciência para retomar aos mesmos níveis de treinamento”, explica Dr. Szeles, que observou um aumento de pacientes com esse tipo de lesão no seu consultório.

A fratura por stress é uma lesão por sobrecarga e acontece justamente quando não respeitamos nosso corpo e vamos sobrecarregando o osso em uma velocidade maior do que sua capacidade de adaptação a estes estímulos e que passam a ser lesivos. A musculatura da região geralmente está fraca e não consegue auxiliar adequadamente na absorção do impacto, sobrecarregando as estruturas  ósseas até a evolução para uma fratura por stress, por insuficiência, por excesso.  Mas, antes de chegar a esse extremo, o corpo já vai dando sinais de que há algo errado. Geralmente, o local que está sofrendo a sobrecarga fica dolorido durante a atividade física e, com o tempo, a dor permanece mesmo quando está em repouso.

“Vários fatores podem potencializar uma lesão por stress, como sobrepeso, sedentarismo,  questões hormonais e, principalmente, a velocidade de aumento das cargas de treino. As mulheres, por exemplo, tem mais propensão a ter esse problema. Por isso, sempre que for começar uma atividade física nova ou retomar depois de um tempo menos ativo, é importante ter um acompanhamento médico. Uma avaliação clínica e alguns exames são essenciais para garantir a segurança do atleta”, completa o Ortopedista.

Para quem já se machucou, a dica é não forçar nenhum movimento, adaptar os treinos, procurar um médico especialista e seguir o tratamento corretamente e pelo tempo necessário. Quanto antes é diagnosticada a lesão, mais rápida é a recuperação para um retorno aos treinos totalmente seguro.