Foto: Lucas Ávila.

 

Chamada de “aberração”, a recém-eleita vereadora de Belo Horizonte, a professora Duda Salabert foi vítima de um ataque anônimo através de sua conta de e-mail. Na mensagem, o sujeito que se identifica como “Ricardo Wagner Arouxa” ameaça assassinar Duda e alguns de seus alunos, do colégio particular Bernoulli, assim que as aulas presenciais voltarem.

Cercado de racismo e ódio, ao longo do texto o homem diz que está desempregado, que a esposa sofre de câncer e que não tem nada a perder. “Eu juro, mas eu juro que vou comprar duas pistola no morro do Engenho, aqui no Rio de Janeiro, vou esperar as aulas presenciais voltarem, vou invadir uma sala de aula do Bernoulli e vou matar todas as vadias, todos os negros e depois vou te matar.

Veja uma parte da mensagem:

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Duda Salabert (@duda_salabert)

Em sua conta de Instagram, Duda desabafa e confessa que não é a primeira vez que é alvo de ameaças; “Estou sofrendo ameaças de morte. Sim, desde que ganhei a eleição venho recebendo mensagens não apenas de ódio, mas também de ameaças. Ontem recebi esse e-mail. E pior: o grupo odioso enviou esse mesmo email para a escola em que trabalho e para os donos e para a direção da escola. É uma estratégia não só para me intimidar, como também para forçar que a escola me demita”, publicou.

A própria professora esclarecer que  “Ricardo Wagner Arouxa”, assinante do e-mail, pode se tratar de um grupo neonazista que atua no Brasil. Ainda não há informações sobre investigações quanto o caso, mas, pelas redes sociais, Duda confessou que irá fazer boletim de ocorrência.

“Hoje irei à delegacia fazer a denuncia para que a investigação chegue aos criminosos. Não vão silenciar minha luta por justiça social. Não vão me intimidar. Serão todos presos”, confirma a vereadora eleita.

Em nota, o Bernoulli informou que “questão já foi direcionada às autoridades competentes para que sejam tomadas as providências cabíveis e acompanharemos seus desdobramentos”. O nome da escola é citado diversas vezes ao longo do texto, inclusive quando o sujeito diz que o “Bernoulli vai virar um mar de sangue”.

Veja a nota:

Em relação às ameaças sofridas pela professora Duda Salabert e que citam o Bernoulli, a questão já foi direcionada às autoridades competentes para que sejam tomadas as providências cabíveis e acompanharemos seus desdobramentos. O Bernoulli ressalta que repudia qualquer tipo de violência, preconceito e ódio.