Foto: reprodução/Defesa Civil

 

As emissões de Gases de Efeito Estufa, responsáveis pelo aquecimento global, caíram 22% em Belo Horizonte, no período de 2014 a 2019. Os dados compõem o 4º Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), lançado virtualmente nesta segunda-feira, dia 7, pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Já o Brasil emitiu 9,6% a mais de gases de efeito estufa  em 2019, em comparação a 2018, especialmente devido ao crescente desmatamento da Amazônia, tendo sido o sexto país que mais emitiu esses gases no mundo. Entender as fontes dessas emissões nas cidades e nos países é a chave para o planejamento de ações de enfrentamento às mudanças climáticas. Daí a importância de se realizar o inventário de emissões, que segue protocolos internacionais de avaliação e é calculado a partir do perfil das emissões diretas e indiretas de GEE.

“Esta quarta edição do inventário de emissão de gases de Belo Horizonte é uma entrega importante para o município, que comemora nesta semana 123 anos. É a partir deste diagnóstico que vamos continuar executando políticas públicas que possam reduzir nossas emissões e, ao mesmo tempo, alinhar desenvolvimento econômico com preservação do meio ambiente. Belo Horizonte é uma das poucas capitais brasileiras que possui um amplo histórico de avaliação e que promove a gestão integrada para melhoria da realidade”, afirma o secretário municipal de Meio Ambiente, Mário Werneck.

O levantamento traz informações com base nos setores de transporte, resíduos e energia. De acordo com  o Inventário, a emissão per capita de gases do efeito estufa caiu de 2,135 tCO²e/ha, em 2014, para 1,1656 tCO²e/ha, em 2019. No mesmo período, as emissões totais de GEE que eram de 5.318.001 tCO²e, em 2014, recuaram para 4.160.083 tCO²e, no ano passado.

“Belo Horizonte faz parte do grupo de cidades que já possui estratégias para mitigar os efeitos do aquecimento global. O inventário é uma espécie de exame de sangue ou do pulmão do município. O plano de redução é justamente o tratamento, o caminho para reduzir a poluição e garantir qualidade de vida à população”, finaliza o secretário Mário Werneck.