Foto: Ana Lívia do Nascimento

 

Segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), em reunião realizada hoje (12/1) entre entidades dos setores de comércio e serviços da capital e a Prefeitura de Belo Horizonte, ficou acordado que o Executivo vai reavaliar o fechamento do comércio definido na semana passada e que está em vigor desde segunda-feira,  (11/1). As entidades mostraram à Prefeitura que não há nenhum dado que correlacione o aumento do número de casos graves com a reabertura do comércio ocorrida no segundo semestre do último ano e que a decisão de fechamento do setor seja revista.

“O que observamos é que há uma conjuntura de fatores que direcionam à elevação do número de casos, graves ou não, mas que não apresentam conexão direta com o funcionamento do comércio na capital”, disse o presidente da CDl/BH, Marcelo de Souza e Silva, que participou da reunião juntamente com representantes de outras 23 entidades representativas de diversos setores da economia, entre elas a Abrasel, a Amis, Associação dos Lojistas do Hipercentro. Pela prefeitura participaram os secretários André Reis (Planejamento), Cláudio Beato (Desenvolvimento) e Adalclever Lopes (Governo).

De acordo com o presidente da CDL/BH, as entidades solicitaram à Prefeitura que os setores de comércio e serviços possam voltar a funcionar de portas abertas. “Podemos até discutir algum tipo de restrição para evitar aglomerações, mas o setor precisa estar de portas abertas para o público. Também solicitamos que tenhamos em conjunto, poder público e sociedade civil organizada, mais ações de conscientização de prevenção à Covid-19. Todas as entidades estão dispostas a colaborar com iniciativas para conter o avanço da doença”, disse Souza e Silva.