Foto: Instituto Minere.

 

O Governo de Minas e demais instituições jurídicas que debatem com a Vale possível acordo para reparação dos danos socioeconômicos causados pelo rompimento da barragem em Brumadinho esperam a conclusão das negociações ainda em janeiro, antes que sejam completados dois anos do desastre, no dia 25.

Na última quinta-feira (7/1), Governo de Minas, Ministério Público Estadual (MPMG), Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG), Ministério Público Federal e Defensoria Pública da União participaram de nova reunião, mediada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), com representantes da empresa. Segundo o secretário-geral do Governo de Minas, Mateus Simões, a conclusão das negociações é um sinal de respeito com os atingidos e com a sociedade mineira.

“Não é possível imaginar que vamos chegar aos dois anos do rompimento da barragem ainda discutindo um possível acordo. Eu acho que aqui está muito claro que temos um limite de prazo se aproximando, que não é apenas simbólico, mas é uma questão de respeito por aqueles que foram atingidos e prejudicados. A sociedade como um todo precisa de uma resposta e ela não pode demorar mais do que dois anos”, afirmou o secretário-geral.

Três reuniões do Poder Público já estão marcadas na próxima semana para que a proposta final de acordo seja elaborada e o valor do possível acordo passe a ser debatido. O objetivo do acordo é garantir que esses prejuízos sejam reparados de forma rápida e efetiva, evitando uma batalha jurídica que poderia levar anos ou décadas.