Foto:reprodução/WhatsApp

Carroceiros fazem uma manifestação, na Avenida Afonso Pena, no Centro de Belo Horizonte contra o Projeto de Lei 142/17, que “dispõe sobre a criação do programa de redução gradativa do número de veículos de tração animal e humana” na cidade. Com gritos de “A cidade é nossa roça! Nossa luta é na carroça!”, os carroceiros terminaram o ato na porta da prefeitura.

De acordo com a  Associação dos Carroceiros e Carroceiras Unidos de Belo Horizonte e Região Metropolitana cerca de 10 mil profissionais participaram do movimento. Através da associação, os manifestantes chamaram o PL de “autoritário” porque “não teve participação popular”.

Já de acordo com a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), às 15h50, a via estava interditada nos dois sentidos, entre a Rua da Bahia e a Avenida Carandaí. Por conta do protesto, linhas de ônibus do Move tiveram o itinerário alterado. O ato só terminou por volta de 17h

O Projeto de Lei 142/17 proposto pelo então vereador Osvaldo Lopes (PSD), hoje deputado estadual, em 2017, sugere a criação do programa “Carreto do Bem”, que consiste na substituição dos veículos de tração animal por veículos de tração motorizada.

Conforme o texto, “fica proibida a utilização de veículos de tração animal, em definitivo, no prazo de dez anos, contados a partir da publicação desta lei”. Este texto foi votado pela Câmara Municipal e teve a proposição de lei nº 98/20 enviada ao prefeito Alexandre Kalil (PSD) no dia 4 de janeiro. Cabe o veto, ou não, do prefeito.