Foto: divulgação

Transmitir memórias, gerar aprendizados, inspirar e abrir novos caminhos. Uma boa história pode fazer tudo isso, além é claro, de divertir e emocionar quem escuta. Levando isso em consideração, o Portal Sabiá vai abrir um chamamento público para selecionar 36 propostas de conteúdos feitos por pessoas com mais de 50 anos.

A intenção é que elas compartilhem suas experiências pessoais, culturais e artísticas em vídeos com temas e formatos diferentes. As inscrições ficam abertas de 3 a 17 de março e devem ser feitas no site. Os conteúdos produzidos vão integrar a segunda edição do festival e ficarão hospedados no portal.

Para se inscrever, é necessário enviar um vídeo de um minuto com a explicação da proposta. Caso esta seja selecionada, a equipe do projeto entrará em contato com instruções para a gravação do conteúdo final. Os interessados em participar devem escolher uma das três categorias existentes.

Com cachê de R$400,00, a primeira é chamada de “Histórias Transformadoras” e vai selecionar 18 propostas de vídeos de até 5 minutos. Nela, a pessoa deve contar uma história que marcou sua vida depois de completar 50 anos de idade. Além de narrar, é preciso abordar os impactos que o acontecimento gerou e as lições aprendidas.

Já “Música e História” abre espaço para 12 vídeos. Além de apresentar uma canção própria, é preciso contar uma história que tenha a ver com a música: pode ser relacionada à composição, ao significado da canção ou a algo que o compositor estava vivendo quando criou a obra. O vídeo deve ter até 10 minutos e o cachê é de R$600,00.

Finalmente, “Literatura e História” vai selecionar 6 vídeos de até 5 minutos. Nesta categoria,  a pessoa deve recitar um conto ou uma poesia. Pode tanto ser de autoria própria quanto alguma história clássica, contos de assombração ou de antepassados, ou até mesmo um texto de autor brasileiro. Quem for selecionado receberá R$500,00 de cachê.

Sabiá
Criado pela produtora EncantaQueVoa, o Sabiá é o primeiro festival de Belo Horizonte desenvolvido para expressar o protagonismo da maturidade. Com a pandemia,  projeto se transforma em um grande portal online. Oficinas, palestras, serenatas musicais, performances e contação de histórias integram a programação. Parte do conteúdo já está disponível no site, que será continuamente alimentado, pois não se trata de uma ação pontual, mas permanente. O acesso aos conteúdos é totalmente gratuito.

Um dos destaques da programação é o Sabiá na Janela: músicos que fariam shows no festival vão se apresentar na rua, em frente às casas de pessoas convidadas a receber o presente pelo Centro de Referência da Pessoa Idosa (CRPI), da PBH. A estreia do portal apresenta o registro da performance do cantor Clécio Araújo na casa do Sr. Edson.

“O Sabiá foi criado para o público que quer curtir um festival com conforto, qualidade e temas do seu interesse. Com a pandemia surgiu o desafio de levar essa experiência para dentro da casa das pessoas. Alguns têm facilidade, mas outros têm dificuldade de lidar com os meios digitais, então o primeiro passo foi criar tutoriais sobre o uso de ferramentas como Whatsapp e Youtube. A intenção é que as pessoas consigam acessar os conteúdos com qualidade, num site com boa navegação, letras grandes e temas bem definidos. Queremos que o Sabiá chegue nas pessoas levando um acalento, levando cultura no conforto da casa delas”, afirma Débora Campos, uma das idealizadoras do Sabiá.

O projeto tem patrocínio do Instituto Unimed BH, viabilizado pelo incentivo de mais de 5,2 mil cooperados e colaboradores por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.