Foto: Gustavo Andrade

 

Após um mês de duras restrições colocadas sobre a cidade e ainda após 10 dias do decreto da onda roxa em Minas Gerais, Belo Horizonte ainda caminha incerta quanto a Covid-19. Os últimos números relatados pela Prefeitura, em 29/3, não são tão otimistas quanto gostaríamos que fossem.

Apesar de uma queda no Número Médio de Transmissão por Infectado (RT) para a faixa amarela, os índices de ocupação de leitos UTI e de enfermaria continuam na faixa vermelha. Pior ainda, a ocupação de leitos UTI opera acima de 100% de sua capacidade, chegando a 100,7% e deixando uma fila de espera para pacientes.

Enquanto isso, o RT segue em queda brusca. Em 26 de março, esse índice estava em 1,14, já em em 29 de março, o registro é de 1,11. Ambos marcadores encontram-sena faixa amarela. A faixa verde, considerada a mais branda, compreende o índice abaixo de 1,00.

Outro índice que assusta é o de ocupação de leitos de enfermaria, que encontra-se hoje em 85,6%, conforme o boletim. Cerca de 4% a menos do que o registrado em 26 de março. Esses registros seguiam em alta desde meados de janeiro e somente apresentaram uma baixa na última semana de março.