Foto: divulgação/Acibra

 

A Itália é um país que abre grandes oportunidades. Dessa forma, garantir a cidadania italiana pode trazer uma série de benefícios profissionais e ainda pessoais para quem conseguir obter este título. Fabio Fasoli, sócio-diretor da Dimensione Cidadania, empresa especializada em cidadania italiana, esclarece que ao ter a cidadania reconhecida, o novo cidadão passa a ter os mesmos direitos e deveres de um italiano nato.

“Conforme decreta a Constituição Italiana de 1948, qualquer descendente direto de um italiano pode requerer a cidadania italiana. Isso porque trata-se de um benefício perpétuo. Com o reconhecimento, o cidadão reconhecido usufrui de todos os benefícios vigentes pelas leis nacionais e internacionais”, explica.

São muitas as vantagens desse reconhecimento. A primeira, e talvez a maior delas, é que um cidadão italiano tem o direito permanente de residir em qualquer país da União Europeia sem a necessidade de requerer um visto com antecedência.

A única exigência para isto é avisar da nova residência ao consulado italiano do país que enfim irá morar, caso não seja a Itália. Por outro lado, entre os seus direitos estará a chance de estudar nas instituições de ensino públicas, fazer uso do sistema de saúde, alugar casas sem burocracia e conviver como qualquer outro cidadão europeu.

Além disto, ao ser reconhecido como um cidadão italiano, o indivíduo poderá concorrer a vagas de emprego mas em todo o território europeu sem distinção de regionalidade e grandes burocracias. De fato, muitos empregadores na Europa preferem aqueles com dupla cidadania pelo fato de a contratação ser mais viável financeiramente falando. Por exemplo, um profissional que tem só o passaporte brasileiro pode acarretar à empresa custos com seu visto, enquanto o mesmo não ocorrerá com um cidadão italiano.

Sobretudo, a cidadania italiana vem acompanhada da possibilidade do cidadão ter acesso a instituições de ensino em toda a Europa. Desde escolas infantis, passando pela graduação até aos últimos graus do ensino superior. A regra vale tanto para instituições gratuitas quanto privadas. E, se for o caso da opção pelo sistema de ensino privado, ainda há o benefício de cidadãos europeus terem descontos de até 50% nos pagamentos destas escolas.

Também é bom lembrar que com o passaporte italiano nas mãos, o viajante poderá entrar em 175 países sem ter que solicitar visto. Além dos países da União Europeia, Estados Unidos, Canadá e Japão são exemplos que dispensam o visto para cidadãos italianos. Esse conjunto, torna o passaporte italiano o 3º mais reconhecido do mundo.

Porém, Fabio esclarece que para adquirir esse benefício é preciso algum esforço e atenção. “Requerer a cidadania italiana pode ser um processo lento e burocrático. Para adiantar esse processo, criou-se um comercio da cidadania italiana. Por isso, o requerente precisa ter cautela ao procurar alguém para apoiar a conduta do processo. A melhor recomendação é que o requerente se informe bem e opte por empresas responsáveis e que tenham um legado produtivo e favorável, como a Dimensione”, finaliza.