Foto: Pixabay

 

Antes, era comum que ao se aposentar, a pessoa não continuasse trabalhando.  Suas ocupações eram dentro de casa e pouca gente resolvia produzir algo para vender, em sua maioria, a terceira idade se abstinha de todas as atividades econômicas da família e vivia apenas com a renda mensal da aposentadoria.

Entretanto, este cenário começou a mudar de alguns anos para cá. Hoje, a realidade é outra. De acordo com o IBGE, o público acima dos 60 anos de idade, já representa quase 20% do consumo brasileiro, movimentando cerca de R$ 1,6 trilhão. O SEBRAE estima que 650 mil idosos estejam empreendendo no Brasil. A estimativa é de 3,1% da população brasileira que possui idade acima dos 60, estejam com negócio próprio.

Jorge Menezes é cirurgião plástico e proprietário da clínica Esthetic Care. Ele revela que atualmente os idosos são mais proativos e exercem atividades que antes eram relacionadas aos jovens. “Namoram online, têm vida sexual ativa, trabalham e continuam querendo aprimorar o intelectual. Isso faz com que busquem novos desafios para alcançar o sucesso tanto profissional, quanto pessoal”, explica o cirurgião que também já está na terceira idade e continua trabalhando normalmente.

Além de cirurgião dentista, Jorge é também idealizador do projeto, Vida Pós-60, que visa colaborar dando dicas para idosos sobre saúde, bem-estar e enfrentar os desafios que permeiam todo ser humano após os 60 anos de idade.

Nunca é tarde
Algumas pessoas têm o desejo de ter o próprio negócio desde a juventude, mas, com a falta de tempo e oportunidades acabam adiando este sonho. “A vida após os 60 é ideal para colocar tudo no papel, investir em um negócio, mesmo que pequeno, pois na terceira idade, a pessoa consegue ter mais tempo para se dedicar ao empreendimento”, esclarece o profissional.

Procurar entender quais são os próprios gostos e hobbies é ideal para quem pensa em ter um negócio. Outra dica, é também verificar quais são as suas habilidades, no que você de fato tem facilidade para manusear. Estar com a mente aberta para aprender coisas novas também é uma daquelas prioridades que precisam fazer parte do topo na sua lista.

Ademais, Jorge acrescenta que é importante levar em consideração todas as nuances citadas e “como isso pode contribuir para seu bem-estar. Lembre-se de manter corpo e mente em ordem, é preciso evitar estresse e fazer o que te dá prazer”. 

Quem quer ser um empreendedor precisa investir não só na infraestrutura, mas também em conhecimento. “Faça cursos, workshops on-line, procure entender como funciona as redes sociais, pois elas são ferramentas importantes para tornar-se um negócio conhecido e passar credibilidade ao público”, acrescenta o especialista.