Foto: Pixabay

 

O isolamento social mudou a rotina não só dentro de casa, mas também nas empresas de diversos setores. A procura por teleatendimentos na área da saúde tem feito as operadoras de planos de saúde, os consultórios e os médicos se adaptarem ao novo cenário.

Com a pandemia, a busca por consultas médicas virtuais cresceu 80% mais em consultórios de Minas Gerais apenas no primeiro trimestre de 2021. Segundo uma pesquisa divulgada pelo instituto Ipso MORI, 86% dos brasileiros com acesso à internet utilizam a rede para buscar orientações sobre saúde, remédios e suas condições médicas. O percentual coloca o país no 5º lugar no ranking do estudo.

A regulamentação da modalidade foi oficializada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e o Ministério da Saúde. As consultas médicas remotas servem como triagem no meio dessa pandemia. Dr. Thiago Marra, especialista em rinoplastia, afirma que “diante da pandemia do novo coronavírus, a Organização Mundial da Saúde (OMS) orienta que as pessoas fiquem em casa para evitar a propagação da Covid-19”.

Thiago defende que mais de 20 cirurgias foram suspensas para seguir com a solicitação da OMS, e agora o foco passou a ser nas consultas online, que servem como 1º encontro com o paciente. “As consultas online vieram, sim, para ficar porque otimizam o tempo do paciente e acaba deixando a consulta mais prática”, comenta o médico.