Foto: divulgação

 

A possibilidade de uma nova determinação do programa Minas Consciente está preocupando empresários e trabalhadores do setor de gastronomia noturna. A medida deve restringir o horário de funcionamento de bares e restaurantes de cidades que se encontram na onda vermelha para 19h.

Caso confirmada, a nova medida pode ser validada logo na próxima quarta-feira (9/6), a partir de uma reunião do Comitê Extraordinário Covid-19 em Minas Gerais para definição dos protocolos do programa Minas Consciente. Assim, o impacto chega diretamente no faturamento desses estabelecimentos logo no Dia dos Namorados, data é considerada uma das mais importantes para o calendário do setor.

Wellerson Cabral, presidente da Associação Empresarial de Tiradentes (ASSET) esclarece que todo o setor gastronômico noturno fica 100% afetado. “Com a suspensão das atividades, todo o setor gastronômico noturno fica sem a possibilidade de operar de forma adequada. Em especial nesta data do dia 12 de junho, o Dia dos Namorados, que é a noite que mais gera recursos financeiros no ano para bares e restaurantes. Contudo essa determinação pode acabar gerando uma cadeia de desemprego catastrófica para uma parcela da economia que já vem sofrendo há 15 meses sem amparo”, argumenta.

Em resposta a possível medida, a ASSET escreveu uma carta ao governador Romeu Zema solicitando que a restrição do serviço presencial em bares e restaurantes não fosse considerada. “É importante lembrar que esse resultado não é uma realidade apenas de Tiradentes. É válido para todos os estabelecimentos em nível estadual. Por isso o problema de um novo fechamento tão amplo é tão grave. Ainda mais na noite de maior arrecadação do setor”, salienta Wellerson.

Veja a carta:

Neste fim de semana tivemos a notícia que bares e restaurantes, de algumas regiões do estado de Minas Gerais, não poderão atender presencialmente após as 19h e a proibição do funcionamento de academias e salões de beleza valendo a partir do dia de ontem.

Essa notícia é extremamente preocupante devido a situação financeira que os estabelecimentos vêm passando após 15 meses de pandemia e restrições em funcionamento. Ainda mais preocupante por interferir numa das noites mais importantes para o setor gastronômico noturno: a noite do Dia dos Namorados!

Lamentamos as perdas e entendemos que as medidas tomadas até aqui ocorram para que o quadro não seja ainda mais grave.

Por outro lado, restaurantes e bares são essenciais para a manutenção da economia local e que funcionam como sustento da economia das cidades, especialmente em cidades turísticos que se portam como principal atrativo, que clamam por atenção e precisam de amparo. Além disso, academias são comprovadas como eficazes e indispensáveis à manutenção da saúde, ainda mais num momento em que nossa principal preocupação é a saúde da população.

Essa medida irá impactar diretamente no desemprego das cidades que sofrem essa restrição e gerar ainda mais prejuízo social. O setor gastronômico noturno, as academias e salões de beleza já passam por 15 meses de prejuízo financeiro e não podem se submeter ainda mais a esse impedimento. Após recorrermos a todos os recursos oferecidos pelo governo não podemos mais sofrer com esse fechamento.

As cidades turísticas dependem dos estabelecimentos para a manutenção do movimento e do fluxo de turistas. É lamentável ficar inerte como estamos. Cidade turística vive de turismo e a gastronomia se destaca como um dos maiores pilares que sustenta essa economia!

Estamos defendendo o funcionamento do setor gastronômico noturno, o qual envolve atividade sem potencial de aglomeração e realizada com reserva previa, e de academias, as quais prezam pela manutenção da saúde dos indivíduos.

Não queremos ignorar o cenário pandêmico que vivemos, queremos apenas que nosso direito de trabalhar seja garantido, dentro de todos protocolos que desde início da pandemia instituímos em nossos locais de trabalho para preservar nossas vidas, de nossos colaboradores e de nossos clientes!

Estamos dispostos a mais rigidez nos protocolos, optando pela diminuição do número de pessoas e não nessa restrição de horário imposta, muito menos que os estabelecimentos sejam impedidos de abrir, a poder operar de uma forma que o risco de infecção pelo vírus seja ainda menor.

Nos colocamos a disposição para abrir um diálogo entre empresários e autoridades a fim de pensarmos juntos numa nova maneira de atuar sem prejudicar tanto o sistema de saúde, quanto a integridade de nossos funcionários e a saúde financeira de nossos negócios.

Agradecemos a oportunidade de fala e esperamos encarecidamente que o Poder Público aja com sabedoria.